Audioslides: visões da Copa da Confederações

No início de junho (alguns dias antes do início da Copa das Confederações, portanto), os alunos da disciplina Lab. Criação Digital começaram a produzir audioslides sobre o tema.

Da pauta até a finalização do trabalho – logo após o evento -, parece que “tudo” mudou: nossa relação com futebol, as expectativas e frustações com o evento, o que esperamos da cidade etc. Algumas pautas caíram, outras se modificaram ou sobreviveram. Sob diferentes perspectivas, as produções abaixo mostram o antes e o durante do evento esportivo que tanto impactou BH e o país.

Dois audioslides mostraram a expectativa (frustrada depois) de comerciantes com o evento. Os donos de um restaurante da av. Abraao Caram, um dos acessos ao Mineirão, contam como se preparam para o evento (infelizmente, soubemos depois, não puderam abrir as portas em dias de jogos). No mesmo sentido, o grupo captou a frustração de feirantes da região da Pampulha que, após se prepararem para o evento, souberam às vésperas que estavam proibir de montar a feira no sábado em que Japão e Nigéria se enfrentaram no Mineirão.

A Lagoa da Pampulha – em constante “revitalização” e sempre mal-tratada – está perfilada em outro audioslide.

Um dos grupos registrou a expectativa de jovens jogadoras de futebol que foram escolhidas para trabalharam como gandulas durante a competição

Instantes antes de um dos conflitos nos limites da área de proteção da Fifa, um tenente de Cavalaria da PM explica seu trabalho e comenta a estratégia de atuação da PM durante as manifestações.

Por fim, um registro “verboaudiovisual” dos cartazes que sintetizam a pluralidade dos protestos que pararam BH e demais cidades brasileiras.

PS – Um audioslide contando a experiência de uma voluntária FIFA que atuou no Mineirão não pôde ser publicado porque, por exigência contratual, ela não poderia sequer tirar fotos durante o trabalho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *