Proposta Transmídia para o Timor-leste: Animações

Os roteiros apresentados aqui fazem parte da campanha transmidiática “Liga da Higiene”, desenvolvida pela turma de Laboratório de Mídias e Linguagens do primeiro semestre letivo de 2017, para o Timor-Leste. O relatório do processo de produção das peças pode ser encontrado ao final desta postagem.

Giovanno

CENA 1

PÁTIO DA ESCOLA: representado graficamente por um fundo chapado azul sobreposto por sombras de pessoas (preferencialmente crianças) dançantes (referencial imagético abaixo). A ideia é que essas sombras se movimentem, fazendo alusão a um festival típico do Timor Leste, no qual os nativos dançam em roda ao som do gongo.

Em primeiro plano, abre-se a cena com o Garoto 1, que está tocando um gongo bem ao centro do quadro. Uma música instrumental ilustra o ambiente, conjunto a vozes farfalhando ao fundo (pode ser uma mescla entre risos, cantorias…).

O Garoto 1, então, espirra duas vezes enquanto toca. Logo, em revezamento, ele sai do quadro e entra Giovanno, que assume o posto antes ocupado pelo Garoto 1. Ele, sorridente, toca um pouco do gongo e, ao terminar, é substituído pela Garota 1.

Com a entrada dela no quadro, assumindo o posto no qual Giovanno anteriormente ocupava (tocando o gongo), ele sai de cena.

CENA 2

RUA DA ESCOLA: Vemos, em close, a calçada, onde Giovanno estará caminhando. Ao fundo, temos sombras de prédios e casas que nos ambientam em uma cidade grande. Um trecho da rua é visível no canto da tela para compor o cenário.

Giovanno está andando pela calçada e, logo mais, Hígia surge do lado direito da tela, juntando-se a ele.

HÍGIA
(com um grande sorriso)
Giovanno! Você tocou muito bem!

Giovanno sorri.

HÍGIA
Você notou que um dos meninos estava doente, Gi?

Giovanno assente com a cabeça.

HÍGIA
Seria prudente você lavar as mãos! Os germes que causam doenças podem ser transmitidos por contato, sabia? Nem sempre nós conseguimos ver, mas eles sempre estão lá! Como você também tocou o gongo, melhor se prevenir!

Giovanno dá de ombros enquanto olha para frente distraído.

HÍGIA
Bom, eu tenho que ir!
(acena para ele)
Até mais! Se cuida, hein!

CENA 3

Giovanno, ao chegar em casa, passa pela sala de estar, entrando pelo quadro à esquerda de quem vê e saindo pelo extremo oposto. Em seguida, corta para um novo quadro, cujo cenário é o banheiro, no qual ele entra também pelo canto esquerdo do espectador.

 

O garoto caminha até parar perante a pia. Ele olha para o sabonete por um curto tempo, franze o nariz e se vira, dando de ombros. Em seguida, ele sai do quadro da mesma maneira que entrou, caminhando da pia ao canto esquerdo, até sumir completamente.

Surge, então, um quadro retratando o quarto de Giovanno. O menino surge do canto direito de quem vê, deita em sua cama, coça os olhos e boceja. Faz-se um plano detalhe da janela do quadro, através da qual se fará a demonstração da passagem do tempo: vemos o sol se pondo e, logo, nascendo de novo.

  

Essa cena é retomada da mesma maneira que a última termina; no entanto, agora é dia. Giovanno acorda e, logo quando ele começa a se espreguiçar, o garoto deixa escapar um espirro. Ele olha para o lado e vê o sr. Sujeira lhe encarando.

SR. SUJEIRA
Parece que alguém andou de mãos sujas, não é mesmo?
(dá uma risada maléfica)
Eu não costumo ser visível, mas resolvi te atazanar hoje!

As bochechas de Giovanno se coram instantaneamente. Ele abaixa o olhar para as próprias mãos e as observa fixamente. Por fim, o garoto se levanta da cama, caminha pelo quadro até sumir pela extremidade esquerda (segundo o ponto de vista do espectador). Corta para um quadro no banheiro, onde o garoto aparece se aproximando da pia e, então, lavando as mãos.

SR. SUJEIRA
(aparecendo na porta do banheiro)
Isso não vai te curar agora, rapaz.
Você já adoeceu. Quando você não lava as mãos, eu e meus amigos germes nos acumulamos, só esperando sua deixa para te deixar mal!

Giovanno estreita os olhos para o sr. Sujeira.

GIOVANNO
Eu sei. Mas pelo menos assim eu vou ter menos encontros com você, sr. Sujeira. Vou ao médico para me recuperar. E espero não te ver mais!

Termina com um close no rosto de Giovanno piscando para a tela.

(Créditos/Call to Action): As crianças aparecem na casa de Giovanno

GIOVANNO
As mãos sujas podem causar vários problemas, como aprendemos aqui! Quando você lava as suas mãos? Fale para nós no site (colocar aqui o link do site), queremos saber o que tem pra nos contar!

Yaris

CENA 1

SALA DE ESTAR: Yaris está na sala de estar de sua casa, sentada à mesa. Dá-se um close na fruteira e, então, vemos apenas o braço da garota invadir o quadro e se esticar até alcançar uma maçã. Quando ela enfim toca a fruta, escutamos a voz de Hígia invadir o quadro. É importante ressaltar que, no meio da fala de Hígia, o enquadramento já volta ao inicial (voltando do plano detalhe para o plano geral).

HÍGIA
Não se esqueça de lavar a maçã antes de comer, hein?!

Yaris olha para a maçã, dá de ombros e lasca uma mordida. A menina selevanta com a maçã ainda em mãos e, se dirigindo a uma das extremidades do frame, responde à Hígia:

YARIS
Eu prefiro poupar meu tempo pra ir brincar!

CENA 2

PARQUE ECOLÓGICO: Um ambiente externo, de gramado verde e florido. Algumas árvores se espalham pelos cantos e um rio se aloca em uma das extremidades do frame.

Yaris está um parque ecológico cambaleando com uma das mãos no estômago e os olhos fixos no chão. Em um certo ponto, a menina, fraca, se ajoelha no chão e se encolhe, abraçando suas próprias pernas. Dá-se um close na garota, enquadrando apenas uma parte do cenário:

Em seguida, Sr. Sujeira entra no quadro e se aproxima de Yaris.

YARIS
(tonta e com a voz fraca)
O que está acontecendo? Quem é você?

SR. SUJEIRA
(com uma voz maligna)
Eu sou o Sr. Sujeira, e você está passando mal porque comeu meus germes! Agora eu não vou mais te deixar brincar.

YARIS
Mas por que eu nunca te vi antes?

SR. SUJEIRA
Ah, isso é porque eu sou muito tímido pra ficar aparecendo toda hora. Eu costumo ser invisível mesmo.

YARIS
Daí quando você resolve aparecer, você aparece pelado?

SR. SUJEIRA
(de bochechas coradas, envergonhado)
Ei, vermes não usam roupas, mocinha!

Yaris, então, tenta se erguer, mas percebe que não tem forças e se rende à inércia. É nesse momento que, de longe, ela avista um riacho.

O quadro muda para o riacho e, logo em seguida, volta a enquadrar a menina.

YARIS
(gritando em direção às águas)
Hígia! Me ajude!

Voltamos a observar o riacho, onde os fluxos de água delimitam uma forma amorfa que dá origem à Hígia. Ela sai do quadro do riacho e se junta à Yaris. Hígia direciona três fluxos d’água para o Sr. Sujeira, envolvendo-o por completo em água. Em meio a tanta água, ele desaparece, fazendo com que apenas as duas permaneçam na cena.

Hígia estende sua mão e ajuda Yaris a se levantar.

HÍGIA
Você precisa tomar mais cuidado, Yaris! Não pode deixar de lavar as frutas antes de comer. Nem sempre eu estarei aqui para te ajudar.

YARIS
Você tem razão, Hígia… Muito obrigada pelo que você fez por mim!

CENA 3

    

A cena se inicia em uma tela preta. Corta, então, para um quadro do quarto de Yaris visto de cima. Ela aparece abrindo os olhos, deitada em sua cama, dando a impressão de que tudo foi um sonho.

Em seguida, Yaris se levanta, vai até a sala de estar e para ao lado da mesa de jantar.

Agora, em uma situação paralela à primeira, dá-se um close novamente na cesta de frutas e vemos, outra vez, a mão de Yaris invadir o quadro e apanhar a maçã. Do plano detalhe, corta outra vez para o plano geral e vemos a menina encarar a fruta fixamente.

Por fim, Yaris decide ir até a cozinha, dirigindo-se à pia, onde a garota lava a fruta.

YARIS
Dessa vez, eu não vou arriscar perder um dia de aventuras!

Yaris morde a maçã.

(Créditos/Call to Action)As crianças aparecem no Parque Ecológico
YARIS
Não lavar bem os alimentos pode atrapalhar e muito a nossa vida! Você tem cuidado com os seus alimentos? Fale para nós no site (colocar aqui o link do site), suas histórias nos interessam muito!

Claudina

CENA 1

RUA DA ESCOLA:Claudina está andando pela rua vestida em seu uniforme de futebol. Em uma de suas mãos, ela segura um suco de caixinha. Quando o suco acaba, ela o joga na calçada,, sem olhar para trás.

CENA 2

QUADRA DE FUTEBOL DA ESCOLA:Claudina se aproxima da quadra, onde supostamente haveria seu treino. No entanto, o território está interditado pelo Sr. Sujeira que, às margens, a impede de se aproximar mais.

SR. SUJEIRA
O treino de hoje foi cancelado, Claudina! Graças a mim!

Claudina olha para o gramado, vendo que há muito lixo ocupando quase a maior parte do espaço disponível. Os cantos de sua boca, junto aos seus ombros, se abaixam em desânimo. Logo, o enquadramento se amplia e ela percebe a presença de Hígia (uma criança de pele azul, cabelos brancos e vestido longo) ao seu lado.

CLAUDINA
(com um tom de voz acanhado)
Hígia! Não tinha te visto ai.

Mas Hígia não se volta para Claudina; ela fica a encarar fixamente a quadra.

HÍGIA
É muito triste, não é?

CLAUDINA
Sim. Perder o treino é sempre triste.

HÍGIA
Na verdade, eu estava falando de todo esse lixo…

Passam imagens da quadra completamente suja. Um dos montes de lixo aparece em destaque, mostrando, nele, uma caixinha de suco igual a que Claudina descartou.

HÍGIA
É ele que te fez perder o treino.

As bochechas de Claudina se coram.

HÍGIA
Você não acha que consegue fazer alguma coisa pra mudar isso?

CLAUDINA
É verdade!
(leva uma das mãos ao queixo e abaixa as sobrancelhas)
Hmmm… acho que eu consigo fazer algo pelo campinho!

É mostrado, então, Claudina e algumas outras crianças (também vestidas em uniformes de futebol) retirando o lixo da quadra. Hígia a olha com olhar de aprovação. Sr. Sujeira é visto desaparecendo ao fundo.

(Créditos/Call to Action)As crianças aparecem na Quadra
CLAUDINA
É sempre bom manter o ambiente ao seu redor limpo, como vimos hoje! O que você faz para manter o lugar em que você vive bem cuidado? Conte para nós no site (colocar aqui o link do site), queremos saber o que vocês tem pra nos contar!

Hélio

CENA 1

PÁTIO DA ESCOLA: Hélio é mostrado dançando ao som de um gongo. Ao fundo, vê-se as sombras de outras crianças lhes assistindo. O jovem sua, vibra e ri, recebendo aplausos ao terminar sua dança e sendo ovacionado pelos colegas. Depois da apresentação, ele faz uma reverência e sai do quadro pelo canto direito (do ponto de vista do espectador).

CENA 2

QUARTO DE HÉLIO:Hélio reaparece em seu quarto, de pijamas, com a testa suada. Ele se deita e dorme sem se preocupar com o suor e a sujeira de seu corpo.

CENA 3


QUARTO DE HÉLIO: Hélio acorda e se espreguiça. Em seguida, ele desce da cama, vai até o guarda-roupa e pega a roupa que usará no dia. O enquadramento muda de um plano geral (que o captura de costas) para um plano detalhe, de frente para o espectador. Por cima do ombro de Hélio, avistamos uma gosma verde (um vislumbre do Sr. Sujeira). Mas, quando Hélio se vira de costas para ver melhor o que é, o enquadramento volta a mostrar-nos o plano geral, onde já não há mais sinal da gosma.

CENA 4

PARQUE ECOLÓGICO:Hélio começa a praticar alguns outros passos que ainda não faz com maestria. No entanto, sempre que tenta, sente uma coceira e se atrapalha, parando o movimento. Na terceira tentativa, ele acaba percebendo a presença de alguém ali com ele: o Sr. Sujeira, que, junto de outros germes, se repousam em seus braços. O Sr. Sujeira dá uma risada e se chacoalha, fazendo Hélio se coçar outra vez.

HÉLIO
Por que está me atrapalhando?

SR. SUJEIRA
(dá uma risada maléfica)
Quem não toma banho recebe visita do Sr. Sujeira!

HÉLIO
Mas eu nunca tomo banho! Como é que nunca te vi antes?

SR. SUJEIRA
Eu costumo ser invisível, garoto. Mas não é só porque você não me vê que eu não estou aqui. Vai me dizer que nunca sentiu essa coceira antes?

HÉLIO
Já, mas eu pensei que fosse nervosismo, sei lá.

SR. SUJEIRA
(dá outra risada maléfica)
Não, garoto. É a sujeira! E enquanto houver sujeira, não vamos te deixar dançar!

Hélio tenta mais uma vez o passo, mas, novamente acaba sentindo cócegas e tendo que parar.

HÉLIO
Eu desisto! Vou procurar ajuda!

CENA 5

RIACHO DO PARQUE ECOLÓGICO:No frame, vê-se Hígia à beira do riacho brincando com a água. Hélio entra no frame pelo canto esquerdo do espectador.

HÉLIO
(se coçando)
Hígia! Você pode me ajudar?

HÍGIA
O que aconteceu?

HÉLIO
Eu não consigo dançar! Estou todo coçando!

HÍGIA
Você tem que tomar um banho, Hélio! Não pode ficar tanto tempo assim sem tomar banho!

HÉLIO
Não tem outro jeito? Tem que ser o banho?

HÍGIA
Mas é claro que sim! Você precisa tomar banho todos os dias, Hélio!

HÉLIO
Tudo bem, Hígia. Acho que aprendi minha lição!


(Créditos/Call to Action)As crianças aparecem no Riacho do Parque Ecológico.
HÉLIO
Vimos hoje como é bom e importante tomar banho e se manter limpinho! Você gosta de tomar banho? Conte para nós no site (colocar aqui o link do site), queremos ver suas histórias!

Fleur

CENA 1

Inicia-se com um close do calendário (do tipo que muda de página conforme o dia) pendurado na parede do quarto de Fleur, indicando o dia 13 de agosto, por exemplo.

Em seguida, o enquadramento abre para um plano geral, dando ampla visibilidade do quadro em si. Vemos, portanto, que Fleur está em seu quarto estudando em uma escrivaninha, com um livro perante si, enquanto come alguns morangos.

Fleur se levanta da cadeira e sai de seu quarto, sumindo pela extremidade direita do quadro (segundo o ponto de vista do espectador). Corta para um quadro do banheiro, no qual Fleur entra pelo canto direito (outra vez, segundo o ponto de vista do espectador). A garota passa pela pia, olha sua imagem através do espelho (momento retratado em primeiro plano) e volta por onde veio.

As duas cenas seguintes representarão a passagem de tempo, em que FLEUR está fazendo a mesma coisa (variando a data do calendário, quais frutas ela come e as roupas que ela usa por mais três vezes). A passagem do tempo, portanto, será retratada pelas folhas do calendário caindo e a passagem dos dias acontecendo. Primeiro, portanto, será 13 de agosto. Depois, a sugestão é que seja dia 20/08 e, por fim, dia 27/08.

Depois da terceira repetição dessa sequência de quadros, volta-se para o close no calendário – mas, agora, vemos as folhas caindo rapidamente e parando no dia 13/10. Dá-se sequência a mesma situação apresentada nas sequências anteriores, na qual Fleur, sentada em frente à sua escrivaninha, lê um livro enquanto come uma fruta. No entanto, dessa vez, é visível um inchaço e uma vermelhidão em suas bochechas. A sequência se transcorre da mesma maneira que antes, com ela indo até o banheiro e se olhando no espelho, sem escovar os dentes.

Outra vez, voltamos ao close do calendário – a diferença, dessa vez, é que os dias passam até alcançar 18/11. Fleur aparece na mesma situação das sequências anteriores, no entanto, com a bochecha já bem mais inchada e vermelha. Ela se levanta da escrivaninha, onde estava lendo um livro enquanto comia frutas, e sai do quadro pela sua extremidade direita.

Fleur, pela extremidade esquerda do quadro, torna a entrar no banheiro. Ela para frente ao espelho e, outra vez, vemo-la em primeiro plano se observar através de sua própria reflexão. Ela passa a mão na bochecha, franzindo o cenho, e abre a boca para ver o que há ali de diferente. Dá-se um close em seus dentes refletidos pelo espelho e, dessa forma, podemos ver vários germes, dentre eles o Sr. Sujeira. O enquadramento muda de um plano detalhe para um plano geral. O Sr. Sujeira agora já está ao lado de Fleur, que dá um pulo para trás. Ele dá uma risada maléfica.

SR. SUJEIRA
(demonstrando certo escárnio)
Viu só o que eu fiz com seus dentes, Fleur? Sou eu e minhas amigas cáries que estão te provocando essa dor!

FLEUR
Quem é você? O que faz aqui?

SR. SUJEIRA
Eu sou o Sr. Sujeira, e eu surjo quando você não escova os dentes, por exemplo. Nem sempre você vai me ver, mas, se não está tudo limpinho, acredite, eu estou ali!

O Sr. Sujeira solta outra risada maléfica.

FLEUR
(gritando)
Isso não parece legal! Hígia, socorro!

Dá-se um close na torneira da pia, de onde vemos Hígia sair, pequena feito gota.

HÍGIA
Querida, você precisa escovar os dentes todas as vezes depois de comer. Se você não fizer isso, o Sr. Sujeira vai voltar sempre! Nem sempre ele vai ser visível, como agora, mas ele vai voltar! E, uma vez que ele está aí, é só o dentista para tirar.

FLEUR
Entendi, Hígia. Vou ao dentista então.

CENA 2

CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO:Fleur está deitada na cadeira do dentista, ao lado do próprio Dentista. O homem se inclina sobre ela com uma escova elétrica, produzindo um zumbido. Corta para um close da boca de Fleur aberta e, então, vemos, à medida em que a escova passa pelos dentes cheios de germes, a arcada dentária ficar limpa.

O enquadramento muda do plano detalhe para um plano americano. Vemos o Dentista terminar seu trabalho, afastando-se de Fleur.

DENTISTA
Agora não se esqueça de escovar os dentes sempre que acabar de comer, hein?

FLEUR
Pode deixar!

CENA 3

   

Fleur aparece outra vez perante sua escrivaninha, olhando fixamente para um livro enquanto come um chocolate. Ao terminar o chocolate, ela se levanta da cadeira e some pela extremidade direita do quadro (segundo o ponto de vista do espectador).

Surge um quadro do banheiro, no qual Fleur entra pela extremidade esquerda. A garota anda até o espelho e, nesse ponto, o enquadramento muda de um plano geral para um primeiro plano da garota olhando sua imagem sendo refletida. Pelo espelho, vemos Hígia se aproximar de Fleur, parando do seu lado. Hígia coloca a mão no ombro da garota.

HIGIA
Não está esquecendo de nada, mocinha?

FLEUR
Opa! Não dessa vez!


Fleur apanha sua escova e escova os seus dentes enquanto Hígia sorri.
(Créditos/Call to Action)As crianças aparecem no Consultório Odontológico.

FLEUR
Aprendemos hoje que é muito importante cuidar da saúde bucal, escovar os dentes e visitar o dentista. Você tem alguma história envolvendo a sua higiene bucal? Mande para nós no site (colocar aqui o link do site), adoraríamos saber.

Grupo: Gustavo Martins, Jéssica Saliba, Maria Luísa Cotta e Paloma L. Arantes.

Relatório final