Como ocorre a estruturação do Branding em uma Startup?

Você já ouviu falar do Méliuz? Provavelmente sim, mas talvez não saiba exatamente o que é. Bom, o Méliuz é um site/aplicativo que devolve parte do seu dinheiro gasto em compras nas lojas parceiras. Toda vez que for comprar alguma coisa, seja uma roupa, um perfume ou até alguma comida, basta verificar se a loja é parceira da Méliuz e efetuar a compra passando pelo site ou aplicativo. Depois de um tempo, o Méliuz devolve uma porcentagem do custo da roupa.

Talvez você fique desconfiado, mas o sistema da startup é simples: as lojas pagam para anunciar no Méliuz e eles dividem esse dinheiro com os usuários.

E aí você se pergunta como o Méliuz ainda não está em todos os cantos do país? Pois é, a construção da equipe e das ações de Branding da empresa começaram somente em Janeiro deste ano, segundo a Daniela Fagundes, Coordenadora de Branding.

“A gente começou a perceber a necessidade da equipe através da assessoria de imprensa,  que foi o primeiro ponto de contato onde nós nos posicionamos e definimos quais pautas queríamos fazer ou não, e isso começou a demandar uma maior comunicação interna além da chegada do gerenciamento de Redes Sociais definitivamente para a equipe de Marketing. E foi então que começamos a ter mais visibilidade, com as matérias saindo, mais acessos à nossa página do Facebook, e foi quando o Méliuz percebeu o valor da marca para os usuários.”

A empresa tinha sua equipe de Marketing muito voltada para a performance, principalmente canais como o Google e divulgações com influenciadores, sempre voltadas para ações com parceiros, raramente para a divulgação da marca em si. Porém desde a criação do time de Branding, esse cenário tem mudado:

“Até hoje fizemos muito branding aplicado, ou seja, pensando como a marca vai conversar com os usuários nas redes sociais, com os jornalistas, internamente. Eu acredito que o aniversário do Méliuz, em setembro, foi a primeira campanha 100% de branding e agora, no próximo trimestre, que teremos campanhas realmente pautadas em quem somos, como a gente se comporta, vem o brand book, a Black Friday, que é o maior evento do ano para nós.” conta.

O Méliuz fez uma ação comemorando os seus 6 anos de existência, com diversos conteúdos nas redes sociais e, ao final, uma live com brindes para os usuários.

Surgiu essa questão então na nossa cabeça: se a equipe formou-se em Janeiro, por que a primeira ação aconteceu somente em Setembro? Dani explica que: “A gente reconheceu a necessidade de criar a marca primeiro e tivemos que justificar isso com números, ou seja, nós só conseguimos ter uma estratégia de branding hoje porque a gente provou tudo através de testes antes.”

Assim como vimos no post da Melhor Plano, a criação do marketing e do branding nas startups ainda é muito baseado em números, o que para nós comunicadores às vezes não é tão fácil, principalmente quando é uma estratégia a longo prazo. Por ser algo que demanda um investimento tanto de pessoal quanto financeiro, é preciso comprovar a importância da equipe de branding para o restante da empresa.

Porém, no caso do Méliuz os resultados desse investimento já começaram a aparecer, comprovando os testes feitos pela equipe:“Os esforços têm dado resultado, tanto é que estamos conseguindo fazer ações voltadas só para o fortalecimento da marca. Todo o crescimento das páginas nas redes sociais, o engajamento do público tem aumentado e é engraçado porque o branding é mensurável, quando conseguimos mostrar o fluxo de pessoas interessadas por exemplo, mas tem uma influência muito grande da sociedade. Algo tipo, se alguém elogia a página do Méliuz para o diretor, nós ganhamos mais força para realizar ações. E aí eu vejo que tem mais pessoas falando sobre a gente e procurando a gente.” conta a Dani.

Sobre o futuro, o Méliuz está bem aberto e animado, com novos passos e muitas ações planejadas. Um deles é treinar toda o time da empresa com o brand book, para todos estarem alinhados quanto quem são os clientes, como a marca deve agir, etc. Além disso, a equipe espera começar a se posicionar sobre assuntos discutidos pela sociedade e lançar campanhas maiores, quem sabe até nacionais.

Atualmente, a marca se dedica à criação de conteúdo nas redes sociais. No Facebook é possível encontrar diversos tipos de postagens direcionadas aos clientes, enquanto no Instagram é possível conferir as novidades do Méliuz e do dia-a-dia da empresa.

Ah, e fica de olho que o nosso próximo conteúdo é sobre uma startup que com certeza você conhece. Consegue adivinhar qual é? Até lá!

 

Dicionário da linguagem publicitária:
Brand Book: O Brand Book tem a função de registrar a essência da marca  em todas as suas instâncias para que esta seja compreendida e se mantenha em foco, seja qual for o profissional ou empresa que venha a se engajar a ela. Ou seja, nela contém quem são as personas, como deve ser feita a comunicação em cada veículo, qual a linguagem usada, postura, tom de voz em cada situação, basicamente quem a marca é. Um manual de como a marca deve se comportar.

Por: Gabriella Miranda e Mariah Júlia Alves
Alunas do 5º Período de Publicidade e Propaganda – UFMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *