#DataMapa Homicídios por Arma de Fogo em Minas Gerais

Foi lançado neste ano o Relatório Mapa da Violência 2015 | Mortes Matadas por Armas de Fogo”, do autor Julio Jacobo Taiselfisz, em parceria com a Unesco e o Governo Federal. O estudo focaliza a mortalidade por armas de fogo no Brasil, sendo analisados os índices de homicídios nas 27 Unidades Federativas do país, além de diversos aspectos ligados à ocorrência das mortes, como  a incidência de fatores como o sexo, a raça/cor e as idades das vítimas.

Neste trabalho, optamos por realizar um recorte nos dados analisando a taxa de homicídios por armas de fogo no estado de Minas Gerais, nas cidades com mais de 20 mil habitantes. Para essas cidades, o relatório apresentada uma taxa média de mortalidade, de 2010 a 2012, baseada em 100 mil habitantes, em que nos baseamos para produzir um mapa de comparação entre as cidades com maior taxa de homicídios por armas de fogo no estado.

A legenda do mapa acima apresenta os indicadores utilizados para diferenciar os municípios de Minas Gerais em relação à sua taxa de homicídios por armas de fogo. Nosso primeiro desafio na manipulação dos dados foi diferenciar a representação das cidades em que não houve mortes por armas de fogo no período relatado, ou seja, que apresentam uma taxa 0, das cidades que não foram contempladas pelo nosso recorte, por possuírem menos de 20 mil habitantes. Para isso, procuramos não destacar os municípios sem dados, deixando-os com a mesma cor utilizada no fundo do mapa.

Já as cidades com taxa igual a 0 foram sinalizadas em azul. É interessante observar que a sua incidência no estado é bastante pontual (apenas 11 municípios) e que a maioria dos municípios nessa condição se concentram no sul/sudeste de Minas Gerais.

rosa e rosinha

Podemos notar que as cores predominantes são o rosa claro e o fuchsia, que representam, respectivamente, as taxas de 0 a 5 e de 5 a 10. As duas legendas abrangem os menores índices de homicídio do mapa, e os municípios com tais colorações estão presentes em todas as regiões do estado. Assim, podemos concluir que grande parte das cidades mineiras apresentam um nível baixo de homídios e consequentemente, de violência.

azul e vermelho

Outro aspecto que achamos interessante é comparar a taxa nacional à incidência de homicídios nos municípios mineiros. Segundo o relatório, o Brasil apresentou no ano de 2010 a taxa de 19,3, no de 2011, 19,1 e em 2012, 20,7. Fazendo a média dos três anos, chegamos ao número 19,7. Para fazer a comparação, mudamos as cores do mapa, colocando todas as cidades com taxa até 19,7 de azul e as que estão acima de vermelho. Pudemos notar que a maioria absoluta das cidades de Minas Gerais estão abaixo da média nacional, o que mostra um bom índice para o estado.

mais-violentas

Por fim, como foco principal do nosso trabalho, podemos identificar no mapa acima as cidades com maior ocorrência de homicídios por arma de fogo no estado de Minas Gerais, com a legenda em preto. São elas: Betim (51,4), Esmeraldas (49,3), São Joaquim de Bicas (46,3) e Governador Valadares (41,1). É curioso perceber que três das quatro cidades se localizam na Grande BH, apesar de Belo Horizonte não estar entre elas. Apesar disso, BH (taxa de 31,9) está na segunda faixa com mais mortes no estado, representada pelos municípios vermelho escuro. Próximo a capital se localizam na mesma categoria: Contagem (38,1), Ribeirão das Neves (35,2), Matozinhos (34,7), Juatuba (34,7), Ibirité (34,2), Vespasiano (34), Igarapé (33), Santa Luzia (31), Sarzedo (29,5), e Mateus Leme (28,2).

Equipe

 

Etapas desta publicação

Proposta  Desenvolvimento