#DataMapa Óbitos por suicídio nos municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte

Escolha do tema e recorte

O primeiro desafio encontrado na elaboração do presente trabalho foi referente à definição do tema e banco de dados que seria utilizado. A princípio, exploramos as informações presentes no site do Ipeadata, em função da atrativa maneira que os dados são expostos. Após significativa pesquisa, decidimos trocar a base de dados, por os números disponíveis no Ipeadata estavam desatualizados o que comprometeria um pouco os nossos resultados e conclusões.

Decidimos, então, trabalhar com dados referentes a questões da mortalidade no estado. A partir disso, procuramos resultados específicos no Google, nos quais encontramos o link do DataSus utilizado. Explorando os dados disponíveis – os quais são ainda mais específicos do que os disponíveis no Ipeadata, escolhemos trabalhar com os números relativos aos casos de óbitos por lesões autoprovocadas voluntariamente – suicídios. Decidimos, também, trabalhar com os dados em diferentes anos, o que acabou por ser apenas 2 – 2012 e 2013 – em função da viabilidade da leitura dos dados no mapa interativo. Pelo grande número de municípios no estado, e assim um grande número de dados a serem trabalhados, escolhemos abordar um região específica, no caso, a região metropolitana de Belo Horizonte.

 

A contradição geográfica – dificuldades

A princípio, o site CartoDB, utilizado para a produção do mapa, dificultou o recorte espacial, uma vez que o modelo que representava a região constava 150 cidades, enquanto na realidade, são 34 municípios contabilizados, segundo o site da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Esses números foram regularizados manualmente na tabela que serviu como base de dados para o mapa, sendo inseridos as cidades e suas respectivas populações que não constavam anteriormente. Diante desse dilema, a solução encontra foi filtrar para uma região menor a “microrregião” – expressão utilizada pela plataforma – de Belo Horizonte, composta por 24 cidades, e acrescentar manualmente no banco de dados do mapa as informações referentes as 10 cidades faltantes: Matozinhos, Nova União, Rio Manso, Taquaruçu de Minas, Florestal, Baldim, Jaboticatubas, Itaguara, Itatiauçu e Sabará.
fonte: http://bit.ly/1ALHQr9 (Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte)

Outro empecilho, talvez mais simples do que aquele primeiro, foi o fato de não encontrar os dados de suicídio em determinadas cidades no site DATASUS. Entretanto, logo concluiu-se que, se não haviam óbitos registrados com essa causa mortis no ano referente, não haveria números relacionados à cidade. Portanto, aqueles municípios que não se fizeram presentes, não apresentam suicídio no ano consultado.

Por fim, também encontramos dificuldades na apresentação dos dados, já que apenas em apenas um dos anos o resultado estava sendo exibido. Em discussão com o professor e monitor da disciplina, decidimos apresentar o valor absoluto em cada município para exemplificar os dados trabalhados e ilustrados.

Equipe

Gabriel Dutra, Laura Tupynambá e Rafael Rodrigues 

Etapas desta publicação

Proposta  Produto 

2 comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing