#ENEM em rede

Candidatos esperam a abertura dos portões para a realização do Enem no sábado

A cobertura  online do Exame Nacional do Ensino Médio de 2012, feita por estudantes  da disciplina de Mídias e Linguagens do Departamento de Comunicação da UFMG, experimentou novos formatos e linguagens na cobertura jornalística deste acontecimento, que este ano bateu recorde de inscrições. O ENEM, considerado o segundo maior exame deste tipo no mundo, teve quase 5,8 milhões de inscritos em 2012, sendo 653 mil somente em Minas Gerais: o segundo estado em número de inscritos. As provas ocorreram nos dias 03 e 04 de novembro.

Aqui você pode conferir a produção realizada pelos estudantes. Ela inclui a cobertura feita no Twitter e no Facebook do Laboratório de Convergência (Labcon). No Facebook, você vai encontrar informações relacionadas aos preparativos para o ENEM e depoimentos de candidatos nos dois dias de provas no campus da UFMG. Também poderá acompanhar o percurso feito pela estudante Gabriela Nicácio, no sábado, 03/10, desde o café da manhã, em sua casa, no bairro Santa Mônica/BH, até o momento em que entrou para realizar a prova, no Instituto de Ciências Exatas da Universidade. Além disso, vai poder conferir como os preparativos e a aplicação das provas foram tratados na cobertura da imprensa.

Veja aqui a galeria de imagens da nossa cobertura do #ENEM2012

se não conseguir visualizar, sugerimos o uso de outro navegador como IE ou o firefox

Reportagem

Bárbara Profeta, David Ribas, Laura Veloso, Luana Assis, Miriam Santos e Terezinha Silva

Etapas desta publicação

Proposta
Desenvolvimento

8 comments

  • Aryanne Araújo

    Gostei muito do panorama que vocês realizaram sobre a divulgação do ENEM pela imprensa e a organização das matérias divididas em grupos de assuntos. É muito útil para quem quiser estudar sobre o tema.

  • Amanda Jurno

    Olá pessoal! Parabéns pela cobertura… realmente diferenciada! Acompanhei vocês e depois passo o relatório sobre isso.

    Só tem um comentário a fazer: cuidado com o excesso de informações. Ser jornalista é, também, ter que selecionar as informações mais relevantes para serem noticiadas. Um bombardeio de posts, links e fotos (como na galeria acima) só assusta o leitor. Sugiro que vocês selecionem as “melhores” fotos da galeria e republiquem. Sugiro no máximo umas 15 fotos, pois, além disso, ninguém vai ver tudo.

    Quanto ao facebook, gostei muito do trabalho de vocês, mas também bato na tecla do excesso de informações! Quando uma página posta excessivamente, o usuário tende a descurtir ou cancelar a assinatura, aí então a visibilidade não existe mais. Pensem nisso.

    Isso não acontece, por exemplo no twitter. Nessa rede social vocês podem, sim, bombardear o usuário com as atualizações… porque esse é o perfil da rede! Deixem para o facebook só o que realmente for relevante e diferenciado. Notícias factuais e atualizações devem ir para o twitter.

    A questão do storify também é a mesma… com tantos links será que o leitor vai chegar na segunda página??? Deixem sempre a opção de “veja mais” para quem tiver interesse, mas pensem sempre em leitores que não passarão mais de 2minutos na página (essa é a nossa média de tempo de visualização).

  • terezinha silva

    Eu não concordo muito de que nesta cobertura teve um bombardeiro de posts, links e fotos. Acho que houve, sim, um trabalho jornalístico de seleção – e não foi fácil selecionar entre tantas informações, imagens e personagens relacionados a um acontecimento como o ENEM.
    – A galaria de fotos que vimos nos portais é imensamente maior. O leitor continuará vendo se tiver interesse pelas imagens: seja nos portais ou no labcon;
    – O Facebook também teve uma quantidade de postagens bem econômica. Não houve excessos; houve trabalho de seleção, de filtro, de acordo com o que julgávamos mais pertinente. No caso do Face, acho que o que faz o leitor sair da página e não voltar mais é justamente o contrário: é não postar praticamente nada, não atualizar, pois dá a impressão de descaso e abandono da pagina.
    – Quanto à storify, algo semelhante: link é link, ou seja, o leitor lerá se tiver interesse e quiser se aprofundar, buscar mais informações. Ele não é obrigado a abrir o link para entender a narrativa que estamos propondo na storify. O principal, para nós, é que o leitor leia a narrativa que nós propomos alí. Se ele quiser ir mais a fundo e ver qual foi a narrativa das mídias, ele entrará. Mas o fundamental é que leia a nossa.

  • Joana Ziller

    Gostei do Storify que montaram e das coberturas a que o texto remete, parabéns pelo trabalho.
    Joana

  • Marina Patrus

    Gostei muito do Storify, mas neste caso, também concordo com o excesso de informações. Porém, como se trata de uma cobertura em tempo real, acredito que o trabalho de seleção seja mais elaborado mesmo. A cobertura via Facebook ficou excelente!! Parabéns pelo trabalho e pela disposição em acompanhar em tempo real um evento tão complexo como o Enem.

  • Geane Alzamora

    Ei pessoal,
    bom trabalho, muito cuidadoso, muito detalhado, parabens pelo empenho e resultado. Gostei em especial do texto de abertura. Uma solução, talvez, pudesse ser deixar o storyfy como link (leia mais) para evitar a barra de rolagem na home da materia. Mas ficou mto bacana, excelente cobertura, parabens.
    Geane

  • Amanda Jurno

    Só para deixar claro, nenhum dos meus comentários significa que vocês não atingiram o objetivo. Mais do que isso, superaram em muito. Porém, sempre podemos refletir com os nossos próprios trabalhos, buscando sempre o melhor!
    Beijos
    =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *