#ensaioBH: Cidade compartilhada e dividida

Estas fotografias são pedaços que sozinhas não compõem lugar, não admitem localização.
O indivíduo na cidade a todo tempo perpassa o comum e o compartilhado, mas nem sempre se situa.
O não-lugar aqui representado é composto por cenários corriqueiros de Belo Horizonte e exploram a relação do indivíduo
com a sociedade de multidão. No nosso aqui e agora não vemos a cidade como um todo, apenas como fragmento.

Davidson Leite

Nicole Stéffane

18 comments

  • Luisa Lanna

    Muito bom o ensaio! As fotos ficaram muito bonitas. Gostei muito dessa ideia de divisão e frieza dentro do espaço urbano tão cheio e “compartilhado”, como vozes mesmo dizem. A escolha do preto e branco ajudou muito a construir essa ideia.

  • Stella Nardy

    Adoro as fotos de vocês e com esse ensaio não foi diferente! A composição, as cores, os ângulos… tudo muito bem fotografado. Gosto muito quando as fotos são em lugares comuns e, ainda assim, conseguem ter impacto e força. Mostra que são realmente boas. Parabéns 🙂

  • Karine Silva

    Ensaio muito bem feito. A geometria e as cores das fotos ajudaram a criar um clima para a sessão, que como dito pela Nathalia, mistura poesia e melancolia.

  • Nathalia Tameirão

    Lindo ensaio. Me fez perceber que mesmo em cenas corriqueiras é possível encontrar poesia e melancolia. O preto e branco das fotos pra mim foi uma escolha perfeita também.

  • lylianegoulart

    O ensaio como foi feiot, considerando os enquadramentos e o efeito P&B, traz o um olhar poético sobre a cidade que nem sempre é percebido.

  • liviaaraujo

    O preto e branco trouxe uma força e uma profundidade para as fotos que casou muito bem com a temática do não-lugar, do indivíduo-multidão. As fotos ficaram maravilhosas!

  • Victor Cordeiro

    As fotos ficaram excelentes, a execução foi impecável! Gostei muito do filtro também, acho que casou bem com esse tema. Com mais fotos, acredito que o ensaio seria ainda melhor.

  • Flávia Ruas

    As fotos passam um conceito muito forte de “urbano”, de uma forma encantadora e envolvente – parece até que estamos no cenário em questão e dá até vontade de participar da correria também. Adorei o preto e branco!

  • Carolina Resende

    Lindas fotos. Faz pensar sobre o cheio e o vazio que compõem a múltidão. O ensaio consegue mostrar como as pessoas estão tão próximas, misturadas, e ao mesmo tempo sozinhas.

  • Caio Santos

    Caprichado. Apaxonei pela composição e pelo conteúdo das fotos que funcionaram perfeitamente no monocromático.

  • Ana Luísa Mayrink

    O tratamento escuro das imagens me passou a ideia de como temos que, de certa forma, nos anestesiar diante da multiplicidade de estímulos presentes na cidade. Os ângulos das fotos são incríveis.

  • marinanovais

    Adorei as fotos!!! O P&B ficou massa. Fiquei só pensando que talvez (em outra oportunidade), as fotos colocadas lado a lado, dariam um efeito ainda maior. Parabéns!

  • Maria Dulce Miranda

    Adorei o ensaio! Gosto de como conseguiram transmitir a “identidade fotográfica” de vocês (antes mesmo de ver os nomes, já sabia de que eram de vocês). A geometria foi muito bem tratada nas fotos. Pra mim, o melhor ensaio.

  • Ana França

    Excelente ensaio. Adorei a ideia de ‘não-lugar’ e a noção de ‘estar sempre em trânsito’ das fotos.

  • Luiza Lambert

    Parabéns, lindo ensaio!
    O P&B, com o preto bem estourado dá um tom maravilhoso para as fotos, e os ângulos escolhidos foram certeiros. Destaque para a foto com as duas passageiras no metrô, de costas uma para outra. É a solidão da vida na cidade atigindo a gente como um soco…

  • Lucas Vitorino

    Gostei bastante do conceito de cidade como fragmento e as fotos conseguem facilmente transmitir essa ideia. Ao ver todos esses “pedaços” em conjunto observamos como a cidade se dá e a relação dos indivíduos com ela.

  • Lucas Rocha

    Arrasaram como sempre nas fotos! Particularmente, esse olhar poético sobre as multidões e solidões do dia a dia me encanta muito. A escolha do filtro P&B foi muito acertada também.

  • Millenne Ferrante

    Fotos muito bem tiradas. Mostram a poesia no cotidiano, em algo corriqueiro como o ônibus.
    Gosto de fotos sobre o “comum”, pois muitas vezes muitas coisas nos passam despercebidas.