#ensaiobh Como é nascer?

Você já se imaginou grávida (o)? Já imaginou como é nascer? Até que ponto o parto e o nascimento são determinantes na nossa vida?
Em nossa sociedade nascer e parir é um grande tabu, que ao longo dos anos se tornou cada vez mais um produto hospitalar, no qual procedimentos e técnicas ultrapassados e desnecessários ainda são aplicados em grande escala, retirando da mulher o controle sobre seu corpo e violando de forma sistemática a intimidade desse momento. Em muitos hospitais, a mulher é desencorajada de protagonizar o próprio parto em detrimento da comodidade da equipe médica, o resultado são cesárias eletivas, cirurgias desnecessárias que podem prejudicar de várias formas a saúde materna infantil.
A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que apenas 15% dos nascimentos ocorram por esse procedimento cirúrgico, mas em nosso país 56% dos bebês nascem dessa forma, aumentando os riscos e a taxa de prematuridade.
No intuito de informar as pessoas e combater esse índice alarmante de intervenções cirúrgicas no parto, nasceu a Exposição Sentidos do Nascer. Iniciativa do Movimento BH pelo parto normal (Secretaria Municipal de Saúde) e da Universidade Federal de Minas gerais, o projeto é uma mostra interativa e sensorial para experimentar a gravidez, o nascimento e repensar o modelo de assistência ao parto no Brasil. O objetivo é promover a mudança no modelo de assistência ao parto no Brasil através de uma transformação do viés cultural, garantindo os direitos das mulheres e das crianças,e minimizando os efeitos adversos do excesso de cesarianas eletivas.
Aprovado no Edital do Ministério da Saúde em parceria com a Fundação Bill e Melinda Gates e o CNPq, o projeto interdisciplinar envolve professores e alunos bolsistas da UFMG e outras universidades do País, contempla ainda a realização de uma pesquisa para analisar os efeitos da exposição e avaliar mudanças na percepção do público visitante sobre o parto e nascimento. Passando por diversos espaços de Belo Horizonte, como a UMFG (13 a 27 de março), Parque Municipal (06 a 26 de abril) e Boulevard Shopping (04 a 31 de maio), essa mostra busca democratizar o acesso à informação e sensibilizar a comunidade para um novo olhar sobre o nascer.
Camila Coeli