#ensaioBH: Labirintos de consumo

Zona sul, leste ou norte. Produtos importados, nacionais, caros ou baratos. Se estamos em crise econômica ou se a carteira está cheia. A grande verdade é que todos aqueles corredores, marcas e opções nos oferecem um mundo de possibilidades, e, principalmente, atendem aos anseios da grande roda do capitalismo. Para as pobres almas rendidas ao sistema, armadas de um carrinho ou de um rosto amigável, nos labirintos do supermercado, ninguém sai sem pagar o devido preço.

Por Lucas Rocha e Beatriz Lobato.

19 comments

  • Davidson Leite

    Gostei da perspectiva de labirinto transportada para dentro das lojas e supermercados. Outro ponto interessante é o enquadramento e a ausência de filtro das fotos, que parecem se tratar de uma espécie de registro de vigilância. Destaco ainda o tom irônico e engraçado das legendas.

  • Luisa Lanna

    Achei bem interessante a escolha da temática do ensaio. As cores e a quantidade de informações que encontramos nesse contexto estão bem evidenciadas nas fotos! Gostei da forma como compararam a arquitetura de dentro de um supermercado com um labirinto e isso fica evidente nas fotografias.

  • Stella Nardy

    Vocês capturaram cenas comuns e cotidianas, mas que dizem muito da nossa vida e sociedade. Além de o tema ser legal, as fotos ficaram muito boas, com todas as cores, diversidade de produtos e expressões das pessoas.

  • Karine Silva

    Legal! O título combina bastante com a sessão, pois as fotos dos corredores repletos dão a ideia de um labirinto mesmo. Imagino que as pessoas devem ter achado um pouco estranho serem fotografadas enquanto faziam compras haha

  • Nathalia Tameirão

    Adorei como o título expressou bem a ideia contida nas fotos e no próprio supermercado com seus corredores e lugares aparentemente sem saída. É a sensação de realmente estar presa a ao capitalismo que salta nas fotos e chama a atenção.

  • liviaaraujo

    Suoermercados são locais muito representativos do nosso cotidiano e da nossa sociedade de consumo. Interessante captar o comportamento espontâneo das pessoas, assim como no ensaio das vitrines. As legendas ficaram ótimas!

  • Flávia Ruas

    Estantes de supermercado são mesmo muito fotografáveis, com essa riqueza de detalhes e cores! Gostei do humor nas legendas das fotos e da naturalidade com que as pessoas são representadas.

  • Victor Cordeiro

    Impossível uma galeria de fotos sobre uma metrópole não abordar o consumo em suas imagens. O que mais gostei na galeria foi a criatividade das legendas, com um humor subjetivo e crítico na medida certa.

  • Caio Santos

    Gostei muito, mas gostei em especial do trabalho dos títulos que são bem irônicos e divertidos. Também apresenta uma boa preocupação com as cores excessivas e variadas das prateleiras.

  • Maria Dulce Miranda

    Muito bom o ensaio. Gosto de como trabalharam a questão de perspectiva. Mas acho que deveriam ter privilegiado mais cores, já que o supermercado é uma explosão de cores e formatos.

  • Millenne Ferrante

    Excelente provocação! O título, unido às fotos, promove uma reflexão sobre essa ação cotidiana que carrega muitas mensagens implícitas. De fato somos “comprados” por ofertas e produtos e compramos o que não precisamos.

  • Nicole Lima

    Adorei o ensaio! O texto dialoga muito bem com as fotos e com a sensação que temos quando estamos no supermercado . As cores ficaram muito boas também. E detalhe para as legendas que deram um tom bem humorado!

  • Lucas Vitorino

    Gostei muito de como esses corredores e prateleiras de supermercado foram vistos pelo ensaio como um labirinto. É engraçado pensar que tanto a disposição dos corredores como a própria ideia da rendição a um sistema reforçam isso. Por fim, o trecho final resume tudo ” ninguém sai sem pagar o devido preço”.

  • Ana Luísa Mayrink

    O título dialoga de forma bastante interessante com o propósito do supermercado: o de fazer o consumidor se perder no que precisa comprar, levando mais que o necessário ou inicialmente planejado. A multiplicidade de cores e formas nas fotografias reforçam a ideia de hiperestímulo, condizente com a vida contemporânea.

  • Carolina Resende

    Gostei muito da mistura de cores do supermercado, cria um contraste legal pra foto. Entendo o que você falou em “pobres almas rendidas ao sistema” como pessoas que vivem na cidade. O supermercado é um integrante do ambiente urbano.

  • Luiza Lambert

    Achei interessante você usar o conceito de labirinto, já que é exatamente esse o objetivo desse tipo de loja: criar um labirinto de ilhas de produtos onde você não consegue sair até que tenha percorrido toda a loja e consumido o que você precisa e o que não precisa também. Para além disso, o uso das cores bem contrastadas também faz juz ao artifício usado pelas lojas para atrair o consumidor. Parabéns, você captou bem o “espírito” do consumismo.

  • marinanovais

    A frase “ninguém sai sem pagar o devido preço.” mostra bem a relação que o supermercado impõe. Quem resiste a uma gôndola lotada de produtos, as cores, marcas e etc, que as fotos bem mostram, é rei nesse mundo capitalista!

  • Ana França

    Não tinha pensado nessa versão do capitalismo. As cores e as perspectivas dos corredores são bons aspectos das fotos. Muito bom ensaio.

  • Gabriel Amorim

    Muito bom! A sociedade se transformou em uma maquina de consumo, em que a nossa vida vale menos que uma mercadoria. Otima percepção dessa perspectiva “comercial”.