Com futuro incerto, Feira do Mineirinho volta em outubro

Reportagem de: Bárbara Nery, Camila Santos, Carla Resgala, Débora Vieira e Pedro Mol.

A Feira de Artesanato que acontece nas quintas e domingos, localizada no Mineirinho, voltará a funcionar no dia 20 de outubro. Segundo o site Agência Minas, o portal de notícias do governo do estado de Minas Gerais, as negociações que vinham acontecendo entre Governo, representantes dos expositores da feira, Ministério Público Estadual, Defensoria Pública Estadual, Comitê Popular dos Atingidos pela Copa (COPAC) e Administração dos Estádios de Minas Gerais (ADEMG) avançaram e os feirantes poderão expor novamente.

A área em que era feita a Feira está passando por reformas. Assim, o Governo disponibilizará, em acordo com a ADEMG, um novo espaço no próprio Ginásio para que os expositores funcionem provisoriamente até março de 2014, período quando começam as preparações para a Copa do Mundo e, por isso, a interdição das áreas próximas ao complexo esportivo. Ainda segundo a Assessoria de Imprensa do Governo do Estado, após a Copa, com todas as reformas prontas, a feira voltará ao seu lugar de origem definitivamente.

Alguns feirantes, como o caso de William Martins, que tinha uma lanchonete, tiveram que procurar outras feiras para tentar sobreviver. Entre a procura e o estabelecimento em uma feira para expor, alguns “bicos” eram arranjados a fim de alcançarem a renda que tinham com a Feira do Mineirinho. “Aonde tinha feira, eu ia para tentar expor. Mas nenhuma feira tinha o fluxo da Feira do Mineirinho. Não chegava nem a 50% do que eu arrecadava lá. Já fui auxiliar de pintor durante o período que não podíamos trabalhar”, disse William. Angela Gomes, feirante que vendia biscoitos, disse que chegou a perder um pouco da mercadoria. “A gente perdeu um pouco de mercadoria, sim. Eu vendia na CEASA também, mas lá é só um dia. Então, a lucratividade é mais baixa. A suspensão da Feira do Mineirinho diminuiu quase 90% da minha renda, e isso prejudicou a minha família”, disse a feirante Angela em entrevista.

Entenda como tudo começou:

Em entrevista com a presidente da AEFEM, a Associação dos Expositores da Feira Mineira, Tereza Cristina Marques diz que a preocupação começou logo quando BH foi escolhida como uma das sedes da Copa, em 2011. Ela alega que as reformas no Ginásio, o motivo pelo qual eles estão deslocados do mineirinho até hoje, não foram feitas, mesmo que o Governo diga em seu portal de notícias que as reformas da fachadas terminaram em março de 2013. A presidente nos apresentou uma linha do tempo que explica a trajetória dos acontecimentos e das negociações.

  • No dia 20 de abril de 2013, os expositores foram retirados do Mineirinho. Houve manifestações por parte dos feirantes, que não tiveram grandes repercussões.
  • Em junho, as reuniões entre as entidades envolvidas no assunto aconteceram para tentar solucionar o impasse. Os representantes dos expositores reivindicavam, nessas reuniões, o retorno da feirinha e a melhorias estruturais.
  • Em agosto, foi comunicado que a feirinha pode voltar a funcionar provisoriamente até março de 2014 no Mineirinho, em um espaço diferente do que utilizavam, já que esse último está em reforma. Durante esse período de 6 meses sem funcionar, aproximadamente 95% dos 308 expositores da feira ficaram sem obtenção de fonte de renda. Cerca de 70% das mercadorias que circulavam na feira ficaram paradas. O restante migrou, como pôde, para outras feiras. Tereza afirma que, mesmo dizendo que eles estão tomando providências para a realocação da feirinha, não se sabe aonde ela acontecerá durante o período de preparação e acontecimento da Copa.

O Labcon, em parceria com a AEFEM, faz uma campanha de mobilização social em prol da Feirinha. Ajude os feirantes a ganhar voz perante o governo. Acompanhe nas nossas mídias sociais #AFeirinhaNãoPodeParar