Her, in real life

Um dos artifícios usados para alterar falas, e, assim, a lógica, de cenas e vídeos de filmes, entre outros, é a partir da ferramente Google Translate, um tradutor de idiomas que possui um robô, de tom feminino, que lê em voz alta o resultado traduzido. A partir da apropriação dessa voz, internautas criavam e recriavam cenas, músicas e vídeos usando a famosa voz (um pouco lerda e incoerente) robótica, como no vídeo em que a mesma canta um funk que virou viral, “Sou Foda”. Partindo do filme Her, que mostra o protagonista conversando e se relacionando com uma mulher criada digitalmente, resolvemos mostrar como seria sua voz, que no filme é sedutora, real, íntima, se o produto tecnológico fosse criado hoje. Essa série de apropriações com a voz da mulher do Google serve até como uma crítica para mostrar como ainda não conseguimos progredir tanto ou até humanizar nossas próprias máquinas.

 

Trabalho por Ana Naemi, Celso Haddad, Gabriela Filippo, Isadora Fachardo e Thales Moraes.

1 comment

  • Joana

    Prezadxs, é preciso corrigir a postagem – o vídeo deve ser inserido no player do próprio WordPress.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *