#infodata: Suicídios no Brasil

Caio Paranhos e Gabriela Freitas

 

Muitas vezes o suicídio é encarado como um tabu pelos meios de comunicação. A justificativa é o temor do Efeito Werther, em referência ao romance Os sofrimentos do jovem Werther de Goethe, em que o personagem se mata por razões amorosas. O livro desencadeou uma onda de suicídios na Europa. Fora da literatura o suicídio é encarado como uma epidemia silenciosa, sendo uma das principais causas de morte no mundo. As causas são diversas, mas muitas vezes estão associadas a transtornos mentais, como depressão e esquizofrenia, doenças graves ou quando as pessoas acham que não há saídas para seus problemas.

Construímos dois gráficos com base nos dados disponíveis no Mapa da Violência 2014, publicado por Julio Jacobo Waiselfisz, que fala das principais causas de morte no Brasil. As taxas de suicídio no país vêm aumentando nos últimos anos, principalmente entre a população jovem (de 15 a 29 anos). Os estados onde mais se suicida são Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Roraima; nos dois últimos o suicídio tem se tornado uma epidemia entre jovens indígenas. Os dados estão em formato de porcentagem, ou seja, calculou-se automaticamente a divisão do número de suicídios (Número absoluto a cada 100.000 habitantes) e a participação em cada região, estado, jovem/não jovem e sexo.

Quanto ao sexo, é notável a diferença entre os suicídios masculinos e femininos. A taxa masculina é mais que o dobro da feminina e seu crescimento é mais exponencial. No entanto, as mulheres tentam se matar 4 vezes mais que os homens. Na população em geral, estima-se que para cada suicídio haja 20 tentativas. No cenário internacional, o Brasil é um país com taxas de suicídios baixas comparado a países da Europa e Ásia. No Brasil, para cada suicídio há 5,5 homicídios; no Japão, para cada homicídio há 70 suicídios. Apesar disso, o cenário tem mudado com o aumento das taxas de suicídio em nosso país.

 

Postado por: Caio Paranhos e Gabriela Freitas

4 comments

  • Luís Felipe Garrocho
    Luís Felipe Garrocho

    Pessoal, logo depois que vocês foram embora nós descobrimos que a melhor resolução é manter o width em 100%, mas modificar o height para 1000px. Eu já fiz a mudança no de vocês.

  • Carlos d'Andréa

    Olá,
    vocês se esqueceram de publica o(s) nome(s).
    Tema muito perninente e bem trabalhado!
    Apenas uma ressalva quanto ao infográfico 1: não está claro se são dados absolutos ou percentuais (em relação à população total)… Acho que a configuração do infográfico não ajuda, mas isso pode ser mais explicitado no texto verbal.
    Abs
    Carlos

    • Gabriela Freitas

      Olá!

      Obrigada pelo lembrete, o arquivo está atualizada. Concordo que realmente não deixa muito claro pois o gráfico transformou sozinho os dados absolutos em percentual. Tentamos deixar mais explícito no texto.

      Obrigada!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing