Juventude: Homicídio e Raça

Proposta: Apresentação didática e atrativa dos dados relativos ao número de homicídios de brancos e negros registrados por região no Brasil, em 2011.

Contextualização: Um dos principais problemas do Brasil, a violência atinge milhares de pessoas a cada dia de diferentes maneiras. Furtos, roubos, agressões, abusos e homicídios. Este problema, endêmico no país, afeta também, e talvez de forma mais grave, um grupo em especial: os jovens brasileiros, compreendidos aí como a faixa etária entre 15 e 24 anos. A maior causa de morte nesta faixa etária são os assassinatos. A situação é ainda mais grave para jovens brasileiros negros e moradores das periferias. Dados do Ministério da Saúde dão um indicativo da situação brasileira. Em 2011, mais de 52 mil pessoas foram assassinadas. 52% delas eram jovens. Dentre estes, 71% eram negros e 93% eram homens. Com base nestes dados iniciais vamos aprofundar nossa análise da violência na juventude pelo relatório Homicídios e Juventude no Brasil, do estudo Mapa da Violência de 2013.

Recursos: O objetivo do trabalho será a organização dos dados da violência contra jovens brasileiros permitindo a comparação de aspectos socioeconômicos de vítimas da violência. Nosso foco será a diferença nas taxas de homicídio entre jovens negros e brancos nas cinco regiões brasileiras definidas pelo IBGE e inscritas na Constituição Federal de 1988. Para isso construiremos um gráfico norteador comparando as taxas de homicídios entre brancos e negros no país para depois dividirmos a representação em cinco gráficos, um para cada região, mostrando a mesma distinção nas taxas. Ainda será possível verificar as taxas específicas de cada estado inscrito naquela região.

Fonte: Mapa da Violência de 2013

Equipe

 Jennifer Gonçalves, Luísa Gomes, Paulo Neto, Luiz Felipe Nunes

Etapas desta publicação

Desenvolvimento
Produto

10 comments

  • Melissa Gomes

    Bom recorte! Seria interessante vocês disponibilizarem informações adicionais, como textos e vídeos sobre o tema, por hiperlinks ou em balões ao longo do trabalho.

  • Carlos d´Andréa

    Ok, grupo, o gancho é interessante. Minha sugestão é que vocês não apenas trabalhem dados do geral para o particular (pais, região, estado), mas também abordem o tema por outros ângulos. abs, Carlos

  • Marina Novais

    Achei muito boa a proposta. Não sei se é o objetivo de vocês, mas seria interessante que o infográfico trouxesse ideias (ou hipóteses?) dos “por quês” acerca da situação. Por que os jovens são os mais vulneráveis? Por que homens? Por que negros? Ainda que pareça óbvio, acho que seria bacana o trabalho de vocês questionar isso mais a fundo mesmo!

  • Júlia Pelinson

    Como escrito na contextualização da proposta, “A situação [violência] é ainda mais grave para jovens brasileiros negros e moradores das periferias”. Diante disso, acho que é válido comparar não apenas o número de jovens negros e brancos que sofrem homicído, mas o número de jovens negros e brancos que são da periferia e quantos jovens de periferia morrem em comparação aos que não são. Isso ajudaria a exmplicar a relação raça/condição social e homicídios.

  • PauloSantos

    Essa era a primeira proposta do meu grupo, pois consideramos que este ponto era um os mais nítidos do da pesquisa sobre a juventude e, com certeza, dará um trabalho muito interessante. A ideia de separar por região é bacana e provavelmente vai mostrar como as diferenças de mortes entre brancos e negros são influenciadas por características regionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *