Mobilidade urbana na Copa: Sudeste

Três capitais da região sudeste do país foram escolhidas como cidades-sede da Copa do Mundo de 2014: Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Nas duas primeiras, o Portal da Transparência da Copa aponta que as obras em mobilidade urbana estão em andamento, com parte dos investimentos já contratados e executados. A capital paulista, porém, aparece no site sem nada executado ou sequer contratado.

Apesar de ser a cidade mais lembrada ao se falar em problemas de mobilidade urbana no Brasil, São Paulo tinha apenas um projeto previsto para a Copa do Mundo de 2014: a construção da linha 17-ouro do metrô, um monotrilho para ligar o Aeroporto Internacional de Congonhas ao Bairro Morumbi, na zona sul da cidade. O custo da obra seria de aproximadamente R$ 3 bilhões.

Segundo a Secretaria Especial de Articulação para a Copa do Mundo de 2014 do Estado de São Paulo (Secopa-SP), entretanto, o projeto era urgente apenas quando o Estádio Morumbi receberia os jogos da Copa — e não a Arena do Corinthians, na zona leste da cidade. Com a mudança, a obra foi retirada da Matriz de Responsabilidade e substituída por um conjunto de cinco intervenções viárias no entorno da Arena Itaquera.

De acordo com o Portal da Transparência – Copa 2014, o investimento previsto para as obras viárias era de R$ 317,7 milhões e até o momento nada foi contratado — embora o site também informe que o “Percentual de Execução Física Concluído” é de 1%. A Secopa-SP, por outro lado, afirma que o projeto está orçado em R$ 478 milhões e que todas as obras já estão em andamento desde setembro do ano passado, com cerca de 21% da execução concluída.

Saiba mais sobre essa série de reportagens

Reportagem

Anna Cláudia Pinheiro, Ingred Souza, Luís Cunha e Natália Ferraz

Etapas desta publicação

Proposta
Desenvolvimento