Encontros nas esquinas musicais de BH

Reportagem de: Augusta Deluca, Elisa Carvalho, Hélio Brandão, Louise Ferreira

Mashup (em mineirês, méxape) é a mistura de uma ou mais músicas de forma a se criar uma nova combinação. Apesar de muita gente achar que é trabalho de DJ, brincar com as músicas alheias é uma prática comum na internet, feita por amadores e profissionais também. YouTube e Soundcloud afora é possível encontrar todo tipo de encontro musical.

Pensando o cenário musical em Belo Horizonte, que é muito rico e sempre despontou artistas de renome no país, vamos explorar a variedade de sons da nossa cidade e pensar novas formas de interação entre músicas.

Méxape #1 Graveola e o Lixo Polifônico ft. Duke Ellington Orchestra – Inverno/Roof Top

Revirando no lixo polifônico, os jovens músicos do Graveola encontraram com uma relíquia que ainda cabia bom uso: Duke Elllington. Esse méxape improvável da banda belo-horizontina, formada em 2004, com o mestre do jazz norte-americano (falecido em 1974) é a prova de que a boa música é imortal e universal.

Méxape #2 Filarmônica de Minas Gerais ft. Duelo de MC’s

Dois grandes representantes da música mineira em um inusitado encontro. A Filarmônica de Minas Gerais se une aos MC’s Din e Koell para mostrar que no MÉXAPE tudo é possível.

Música: A Máquina de Escrever – Leroy Anderson
Duelo de MC’s 2013 – Final

Méxape #3 Makely Ka  ft. Charles Mingus

Um pouco da irreverência crítica com tempero de poesia urbana de Makely Ká, músico e compositor atuante no cenário de Belo Horizonte a mais de dez anos. Um encontro inusitado com ninguém menos que o gênio do jazz Charles Mingus, em duas músicas Myself when I’m real e Moanin com sua banda Charles Mingus Big Band Jazz, misturado e remontado com o tema contemporâneo Desliguem os aparelhos celulares.

Méxape #4 Dibigode ft. Milton Nascimento ft. Rappin’ Hood

Milton Nascimento, mineiro de coração, canta Minas, junto aos novos e natos mineiros do Dibigode, que falam muito sem nada dizer com sua música instrumental, já bem conhecida pelos belo-horizontinos. Pra incrementar a mistura, o rapper Rappin Hood, que já marcou presença no reduto do rap da capital mineira, o Viaduto Santa Tereza.