Orange Is The New Black – Proposta de Experimentação

A SÉRIE

Orange Is The New Black se trata de uma produção televisiva norte-americana de drama e comédia, que conta a história de Piper Chapman, moradora de classe média alta de Nova York, condenada a cumprir 15 meses em uma prisão feminina federal intitulada Lichfield, por ter participado de um esquema de tráfico de drogas coordenado por sua ex-namorada, Alex Vause, que pertencia a um cartel internacional de drogas.

O acontecimento havia ocorrido há dez anos atrás, e durante esse intervalo de tempo, Piper Chapman vivia uma vida tranquila e agradável ao lado do seu noivo Larry Bloom. Porém, ela resolve se entregar e acaba indo para a prisão cumprir sua pena. A história se desenvolve dentro do ambiente, onde a cor laranja é predominante entre os uniformes das detentas, e assim Piper conhece um novo mundo, com novas experiências e conflitos compartilhados com as presidiárias e os empregados que ali vivem.

De acordo com dados revelados pela Nielsen a respeito da 4º temporada, a série teve quase a mesma audiência do que a famosa série da HBO Game Of Thrones, com primeiro episódio visto por 6,7 milhões de usuários da Netflix e o segundo por 5,9 milhões.

 

app

 

ANÁLISE TRANSMÍDIA

Segundo Scolari, “Transmedia Storytelling é uma estrutura narrativa particular que se expande através de diferentes linguagens e mídias(…) [que] participam e contribuem para a construção do mundo narrativo transmidiático” (SCOLARI, 2009, p. 587).

Assim, como toda narrativa transmídia, Orange is the New Black desde seu início se expandiu para diversos meios.  

Tendo em vista em que um dos principais objetivos da série é envolver os fãs da produção, a Netflix se apoiou nas redes sociais – principalmente o Facebook – para avaliar o envolvimento do público com o conteúdo da série.

Para expandir a série ao longo do tempo são feitas temporadas curtas, de apenas 13 episódios, que fazem com que a trama se desenvolva por várias temporadas sem que se passe muito tempo na história. Dessa forma, a série, que partiu de apenas um livro que narra a experiência da autora durante 15 meses de prisão, conseguiu se estender até agora por quatro temporadas e está com o contrato renovado para durar, pelo menos, até a sétima temporada. Porém, para conseguir expandir a narrativa tanto, foram feitas várias alterações na história original, que distanciam a série do livro em que foi inspirada.

A série se estende principalmente nas redes sociais, com páginas oficiais no Facebook, Twitter e Instagram. Além disso, existem também dois aplicativos: Orange is the New App, para fazer montagens com o tema da trama, e OITNB: Red vs Vee, um jogo baseado na segunda temporada da série.   

O perfil do Instagram replica as postagens das atrizes do elenco e possui mais de três milhões de seguidores.

 

Capturar1

O perfil do Twitter possui aproximadamente 1,8 milhões de seguidores e além de replicar conteúdo de outros sites e perfis que se referem a série, publicam memes e gifs para promover a interação com a audiência.

Uma ação que chamou a atenção foi do Halloween, na qual o perfil retuitava as fantasias usadas pelos fãs que postavam as fotos usando as hashtags #HappyHalloween #halloween2016 #OrangeIsTheNewBlack #OITNB e #BigBooHalloween

Capturar2O Facebook é a plataforma na qual observamos o maior engajamento do público. Com quase 7 milhões de seguidores, a página de Orange is the New Black usa a mídia de forma autêntica, visando não replicar o conteúdo da série nas redes sociais e aplicativos, e sim enriquecê-los com influências da cultura pop, da cultura de fãs e da cultura local dos países em que a série é exibida.

Mesmo com o fim da quarta temporada, os fãs continuam interagindo com a página, pedindo por mais episódios, por spoilers ou somente declarando seu amor à produção.

Capturar3

Durante a divulgação da quarta temporada, duas campanhas obtiveram amplo alcance no público brasileiro: uma incorporou a atriz Inês Brasil à narrativa, lançando dois vídeos especiais com a atriz como detenta de Litchfield; e a outra contou com a participação da apresentadora de programas culinários Palmirinha Onofre, com um vídeo em que o programa da cozinheira é exibido na televisão do presídio e o outro com erros de gravação da senhora tentando falar Litchfield. Os dois vídeos com participação de Inês Brasil somaram mais de onze milhões de visualizações, e os vídeos com a Palmirinha alcançaram quase duas milhões de pessoas.

 

Capturar4

 

A interação com a cultura brasileira não se restringe aos vídeos de campanha de divulgação da série. Através de fotos e comentários, a página do Facebook também incorpora expressões usadas por brasileiros na internet:

 

Capturar5

Além disso, o Facebook oficial lançou também vídeos como “Elenco de OITNB reage aos memes BR” e “Eu shippo, tu shippas, ela shippa”, em que atrizes da série comentam a reação de fãs brasileiros à série.

Há também a interação do perfil da série com outras séries, o que acarreta no engajamento de mais de um Fandom:

   

Capturar6

 

No aplicativo Orange is the New App os fãs podem fazer montagens e “se inserir” na trama, colando o seu rosto em fotografias dos personagens. Além disso, os usuários podem também criar cartões com fotos e frases da série, baixar cartões temáticos, como do Halloween, e usar emojis personalizados com os personagens de Orange is the New Black.

 

Capturar7

No Facebook, as postagens são constantes antes e logo após o lançamento de uma nova temporada e diminui bastante nos meses seguintes. Por exemplo, a quarta temporada foi lançada no dia 17 de junho e durante o mês seguinte as postagens na página foram diárias, mas à partir de agosto foram reduzidas à uma publicação por mês. No Twitter, a série realiza cerca de uma publicação por dia, mas chega a responder quase dez fãs diariamente.  No Instagram, o grupo tem feito também uma publicação por dia.

Além das páginas oficiais, é possível encontrar diversos blogs, grupos e páginas nas redes sociais criados e mantidos por fãs, com o propósito de expandir as narrativas através de memes, vídeos, fanfics, etc. Nessas extensões, os fãs tanto replicam conteúdos das páginas oficiais da série como também criam seus próprios conteúdos.

É possível também, obter alguns acessórios, roupas e bonecos que representam a série, como blusas inspiradas com estampas do nome da série e também das personagens, bonecos no estilo Funko Pop (oficial), canecas (não oficiais) e adesivos (não oficiais).

 

PROPOSTA DE EXPERIMENTAÇÃO

A proposta de experimentação do Projeto Transmídia envolve a criação de um aplicativo que reúne informações gerais sobre a série Orange Is The New Black, permitindo uma experiência mais interativa e que gere maior engajamento para o usuário. Dessa forma, o próprio usuário, ao fazer uma profunda imersão na série com o aplicativo “Explore Litchfield”, consegue coletar informações gerais e específicas sobre os personagens, além de poder baixar conteúdos exclusivos e participar da comunidade de fãs que a própria plataforma permite para criar novos conteúdos, compartilhá-los, convidar novos usuários e abrir discussões em torno da série.

Na medida em que o usuário explora a penitenciária utilizando o mapa em busca de informações sobre toda a história, ele irá desbloquear novos personagens para continuar sua exploração, além de receber recompensas e subir de level na medida em que ele for avançando.

O recurso de gamificação é utilizado para que o usuário tenha mais interesse em desvendar os mistérios de Litchfield, e que isso possa motivá-lo a contribuir com a série convidando seu círculo de amigos, recebendo prêmios e recompensas (conteúdo exclusivo como pôsteres, vídeos), aumentando a interatividade.

app

 

INSPIRAÇÃO

Para realizar a Proposta de Experimentação, nos inspiramos em alguns projetos transmidiáticos já feitos:

Site Interativo Luke Cage – Criado pelo Omelete, o site interativo permite que o usuário crie um perfil e comece a explorar o mundo de Luke Cage. Através de um mapa, ele consegue explorar o apartamento de Luke Cage, entre outros locais. Assim como na nossa proposta, no site o usuário só consegue explorar outros personagens de outras séries (Demolidor, Jessica Jones e Punhos de Ferro) quando terminar de explorar todo o mapa de Luke Cage. Você pode fazer download de arquivos da série e pode compartilhar suas descobertas nas redes sociais.

Fandom by Wikia: Criado em 2006 pelo fundador Jimmy Wales, o site tem como proposta reunir comunidades de fãs de entretenimento, de modo geral. Permite que os usuários criem e compartilhem conteúdos relacionados à cultura pop, e estabeleçam conexões com pessoas que tenham interesses em comum.

Prison Architecht: Game que possibilita a criação e a gestão de presídios, desenvolvido pela Introversion Software. Para a proposta, foi utilizado somente o mapa que os usuários do game criaram baseado na prisão de Litchfield.

app

 

COMO FUNCIONA

Login

Para usar o aplicativo, é necessário que o usuário crie um perfil com seu próprio e-mail ou utilize o recurso de social login para aproveitar seus perfis já criados em redes sociais para acessar todo o conteúdo da série.

Menu

Na primeira parte do menu, é possível que o usuário tenha dados gerais sobre seu perfil, como nome, level, foto. Além disso, ele pode acessar informações sobre quem está o seguindo e sobre quem ele o segue, mensagens entre usuários, convites enviados e downloads feitos.

Na segunda parte do Menu, o usuário pode acessar informações sobre A Série, Personagens, Explore Litchfield (mapa interativo), Beyond Litchfield (curiosidades da série), Fandom (acesso à comunidade de fãs específica da série) e Ajuda (suporte ao usuário).

Perfil

No perfil, o usuário pode acessar informações completas sobre ele, como as descobertas que ele fez, os prêmios que ele recebeu a cada nova descoberta, ranking, seguidores e contribuições na página do Fandom.

Na parte de baixo, ele tem acesso a um feed que mostra todas as suas ações feitas no aplicativo. Se ele desbloqueou algum personagem, recebeu recompensa, ganhou novo seguidor, essas informações serão atualizadas para que ele consiga ver no seu próprio histórico.

Explore Litchfield (Mapa Interativo)
No mapa, o usuário irá começar suas descobertas em torno da penitenciária de Litchfield. Por padrão, ele irá começar a explorar com o único acesso à personagem principal da série, Piper Chapman. Dessa forma, os primeiros lugares do mapa disponíveis se restringem a locais em que ela se faz presente. Esse recurso é utilizado com todas as personagens.

O mapa contém uma visão geral da penitenciária de Litchfield dividido pelos cômodos do local, contendo tanto a parte interna quanto externa.

No mapa, ao clicar no rosto de algum personagem, é possível acessar informações do local que o usuário clicou, bem como do próprio personagem. Somente após ter acessado o conteúdo e explorado todas as informações, é possível ir para o próximo personagem. Como citado anteriormente, todas as ações feitas no aplicativo, que envolvem a descoberta da história, compartilhamentos, convites e interações dão recompensas para o usuário em forma de pôster, gifs, vídeos exclusivos da série, entre outros.

Para ter acesso a todas as informações, incluindo as contribuições dos próprios usuários, é necessário que ele clique nos ícones específicos para ser redirecionado para o Fandom, destinado à comunidade de fãs.

Para melhor a experiência do usuário, quando este clicar em algum local para saber mais informações, ele poderá acionar o recurso de tela horizontal para que possa ver o conteúdo com mais qualidade. Para voltar ao normal, ele pode clicar no botão específico para essa ação novamente.

Personagens
No aplicativo, é possível que o usuário acesse diretamente o espaço reservado aos personagens da série Orange Is The New Black. Como ele precisa explorar todo o mapa para desbloquear todos os personagens, alguns personagens não estarão disponíveis para que ele possa acessar informações enquanto ele não completar a ação.

Beyond Litchfield
Na medida em que o usuário descobre novos segredos escondidos em Litchfield, ele irá desbloquear curiosidades sobre a série. A cada desbloqueio, uma nova curiosidade é atualizada nessa parte do aplicativo. O usuário pode facilmente compartilhar as curiosidades nas redes sociais com os recursos disponíveis.

Fandom
O usuário poderá acessar a parte específica destinada à comunidade de fãs, para ter acesso completo às informações que são criadas e circuladas no espaço.
É possível saber o número de artigos, fotos e vídeos publicados pelos usuários. Além disso, os usuários podem agrupar os assuntos da maneira que eles acharem ter mais afinidade com a série. Como exemplo, os assuntos estão divididos pelos seguintes tópicos: Temporadas, Amizades, Romances, Grupos, Brigas e Mídias.

Na parte inferior, é possível ter acesso às Discussões Quentes, assuntos levantados pelos próprios usuários sobre a série. O usuário pode acessar a discussão, comentar, curtir e compartilhar o conteúdo.

O usuário pode criar artigos na própria plataforma. No exemplo, inserimos um texto (lorem ipsum), com a possibilidade de compartilhamento nas redes sociais. É importante ressaltar que esses conteúdos podem ser integrados ao Mapa Interativo. Quando um usuário acessar o local e as informações, ele pode clicar no botão ‘+’ e ele terá acesso ao conteúdo produzido pelos fãs, sendo redirecionado ao Fandom.

Dicas de Exploração
Para deixar o aplicativo mais lúdico e envolvente, foi feito uma série de dicas que são disparadas enquanto o usuário navega pelo app com dicas de exploração sobre como “sobreviver” na série. Algumas frases que separamos de acordo com a série e que compõem essa ação lúdica dentro do app:

Tenha uma família, faça amigos
Nunca fique em um espaço em que possa ficar trancada
Tenha uma pessoa que te proteja
Sempre elogie a cozinheira

Relatório Final – Análise transmídia e proposta de experimentação

Grupo: Dalila Coelho, Giulia Araugio, Mônica Vargas, Raíssa Galvão, Gabriel Moraes, Stephanie Falconelli