Um dia de música em Belo Horizonte

DESENVOLVIMENTO +

[ Descrição do processo ]

Tema: Um dia em Belo Horizonte com cinquenta reais.

 

Foco: Desbravar a cena musical da cidade gastando pouco e tendo contato com diferentes estilos de música.

 

Proposta: A proposta do trabalho é criar um mapa interativo que apresente variadas opções musicais de Belo Horizonte a preços acessíveis. A ideia é percorrer e listar casas de show como o Matriz, no Barro Preto, onde bandas de rock alternativo e heavy metal costumam se apresentar, e também atrações ao ar livre e de entrada franca, como a “Rapa do Papa”, festival de rap que acontece todos os domingos na Praça do Papa, e o itinerante Roodboss, que é uma ode ao reggae. O mapa trará informações sobre o local e/ou evento como preço de entrada, preço de bebidas e estilo musical predominante. Além disso, fotos e vídeos de algumas das atrações dos locais visitados serão inseridos para ilustrar e dar um “gostinho” a quem acessar o mapa.

 

Perguntas:

Os preços das atrações em lugares fechados estão exagerados?

Quais os principais entraves para se fazer esse tipo de passeio em BH?

Qual estilo musical predomina em BH?

Diferentes estilos de musica resultam em diferentes preços?

Qual o público-alvo de cada local visitado?

 

Recursos: O recurso usado será a plataforma Google Maps, onde, utilizando marcadores, iremos indicar os locais levantados pela pesquisa. Utilizaremos fotos e vídeos para tornar o mapa mais informativo e intermidiático. No mapa, haverá um campo de comentários, onde os usuários poderão deixar opiniões sobre os lugares listados.

 

 

Equipe

Gustavo Aleixo, Roberto Rodrigues e Luana Flávia

7 comments

  • admin

    Esta é uma etapa proposta e vocês usaram o cabecalho de desenvolvimento. Não há botões para as outras etapas.

  • Pedro Lucchesi

    Oi gente,

    Assim como o Arnaldo também fiquei em dúvida sobre como será a utilização de algumas perguntas que vocês fizeram. Mas achei a proposta muito pertinente, atraente e executável.
    Pedro

  • Arnaldo Garcia

    Acho válida a segmentação musical proposta e acredito que naturalmente haverá público para o conteúdo.
    *Não entendi direito se as perguntas expostas farão parte da abordagem de pesquisa que o grupo fará para propor o mapa.
    Seria legal ter também algum canal colaborativo onde a partir da pesquisa e listagem inicial feita por vocês, o serviço se sustente sozinho pelos usuários. Acho que só comentários não supre essa necessidade de interatividade.
    Outra sugestão pode ser integrar o mapa a outra plataforma do tipo tumblr, instagram, fanpage…

  • Geane Alzamora

    Boa pauta, boa proposta de uso de plataformas. Podem também usar nossas mídias sociais, se quiserem. Não se esqueçam de que não devem colocar a categoria (pauta) no título, conforme discutimos na última aula.
    Geane

  • barbarasilva

    Gosto bastante da ideia do mapa interativo, fico apenas pensando que ele não deveria ser uma ação isolada. Acredito que seria interessante considerar outra plataforma, como um hotsite ou blog, para hospedar esse mapa e uma referência onde as pessoas possam encontrar mais informações sobre os locais. Isto pode inclusive facilitar a divulgação do mapa.
    Existe um site que mapeia ‘second hand shops’ em Copenhague que pode ser referência para muitos dos trabalhos que estamos propondo. O mapa é o principal produto que tem, mas também possuem um blog, facebook, instagram.
    http://www.cphtreasures.com

  • LorenaLima

    O tema e a ideia de criação de um mapa interativo é bem interessante. Acreditamos que ele vá facilitar a visualização do que vocês pretendem apresentar, além de atrair a atenção do público. Talvez um número maior de perguntas ajudaria a delimitar melhor o tema e a produzir conclusões mais completas.
    O mapa será facilmente visualizado em smartphones e tablets?!
    (Ana Carolina Rodarte, Débora Helena, Lorena Lima)