Poema Hightech

Bem como o ciborgue se mistura ao homo sapiens, a poesia se mistura à carne humana. Indissociáveis, os três elementos – MÁQUINA HOMEM POEMA – inspiram um jovem poeta e estudante de Comunicação Social a cuspir seus versos automatizados.

Trabalho da disciplina de Processos de Criação em Mídias Digitais.

Aluno

Bremmer Guimarães

Créditos

Trabalho da disciplina de Processos de Criação em Mídias Digitais. Texto de referência: TADEU, Tomaz. Nós, ciborgues: o corpo elétrico e a dissolução do humano. In: TADEU, Tomaz (org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2000: Autêntica. p. 7-15 Música de fundo: Technologic, por Daft Punk. Álbum: Human After All, 2005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *