Rebranding – Banco Inter

Para introduzir a nossa proposta, traremos o conceito de Branding: uma ferramenta poderosa de construção e gestão de marcas. Fazê-lo significa valorizar a individualidade das empresas, trazendo à tona suas características, suas crenças e seu posicionamento. Desse modo, ao investir no Branding, a estratégia do negócio é potencializada e a comunicação se faz sobre bases sólidas.

Em vista da grande volatilidade das tendências de consumo e da constante renovação dos mecanismos de empoderamento e de impulsionamento de marca que o mercado exige, podem ser fazer necessários o reposicionamento a e revitalização da marca de uma empresa, por meio do processo de Rebranding.

Mas como isso funciona? O Rebranding é uma estratégia por meio da qual uma organização pode modificar a sua denominação, a sua identidade visual e outros elementos identificativos, ou, ainda, realizar mais de uma técnica ao mesmo tempo para formar uma nova identidade ou mantê-la com apenas mais alguns “retoques”.

Essas alterações ocorrem para aprimorar ou mudar a percepção dos consumidores em relação à marca, ressignificando as suas associações e aumentando a sua atratividade frente à concorrência. Elas estão normalmente relacionadas a fatores mercadológicos – como a perda do diferencial competitivo -, mas também podem querer caminhar de encontro à mudança do comportamento do consumidor, à tecnologia ou por uma possível crise de personalidade, por exemplo. Ainda, pode advir de mudanças de fatores mais internos, tais quais os ideais da empresa, as suas propostas e o que ela acredita. Portanto, no momento em que alterações como essas ocorrem, a marca deve pensar em um novo posicionamento no mercado, buscando atingir suas metas de uma maneira mais concisa, transparente e atualizada.

Assim, a prática de Rebranding, tamanha a sua importância, vem sendo aprimorada e difundida entre todos os meios de comunicação ao longo dos anos, em busca da modernização de marcas consagradas e da sua aproximação máxima ao público.

rebranding

*Imagem extraida do site https://www.soyunamarca.com/que-es-el-rebranding-y-cuando-utilizarlo/

Isto posto, decidimos nos aprofundar em uma pesquisa mais detalhada com os olhares voltados para o Banco Inter. Acreditamos ser interessante entendermos um pouco mais sobre como um banco mineiro, que ao longo dos anos se tornou conhecido nacionalmente, identificou a necessidade de um Rebranding. Principalmente, nosso trabalho visa entender o porquê, e como ele aconteceu.

Inicialmente em 1994, o então Intermedium começou sua trajetória como financeira do grupo MRV, e em 2008 se tornou um banco múltiplo reconhecido pelo Banco Central do Brasil. Dentre tantas transformações que propôs no setor financeiro, uma das mais marcantes, além de todos os serviços de varejo oferecidos, foi o lançamento da primeira conta corrente totalmente digital e sem tarifas do Brasil em 2014. Apesar de ter se transformado, crescido e expandido, atendendo a diversos públicos e com uma vertente tecnológica e digital pulsante, o banco continuava com a mesma apresentação antiga de sua origem, que transmitia a ideia de ser inacessível, conservador e nada jovial. Após esse diagnóstico, surgiu a necessidade do Rebranding, que mostrou que, além de mudar o nome, um risco grande que optaram por correr, a mudança deveria vir acompanhada de uma nova apresentação interna e externa, tanto visual quanto comportamental, incluindo identidade visual, redes sociais, canais de comunicação, ambiente físico, etc

*Imagem exportada do site www.bancointer.com.br

Noele Karime, profissional do Banco Inter especialista em Branding, nos recepcionou e nos explicou como esse processo aconteceu, nos deixando a par de muitas coisas inimagináveis para o público e que só aconteceram nos “bastidores.” Em um primeiro momento, conversamos sobre o que é Branding, e com as suas palavras, podemos perceber o real problema do banco.

“É a alma das empresas, a alma das marcas. Uma pessoa tem uma personalidade que diferencia ela de outra pessoa. Uma marca tem uma personalidade que a diferencia de outra marca. Assim como uma pessoa tem traços de uma personalidade, tem um visual que expressa essa personalidade, nas marcas isso é (chamado de) branding.”

Após muito estudo, a equipe de Marketing do atual Banco Inter diagnosticou uma crise de identidade, e assim eles começaram a pesquisar meios de se renovar e conversar com seus públicos, expressando a personalidade consolidada ao longo de sua história. O maior desafio da equipe foi expressar na nova marca os conceitos, valores e princípios de uma empresa disruptiva, sem perder a seriedade de um banco. Além de uma mudança visual, o banco precisava passar por ajustes de comportamento e posicionamento, ou seja, realmente fazer um Rebranding.

Cronologicamente falando, o processo de Rebranding ainda está ocorrendo e é extremamente recente, por isso o nosso grande interesse em acompanhar de perto esse projeto. Tudo começou em setembro de 2016, com uma pesquisa de mercado, elaborada por uma empresa especializada paulista, para saber como as pessoas viam o Banco Intermedium. Em janeiro de 2017, pesquisas internas foram realizadas, a fim de entender qual era a visão dos colaboradores, fornecedores e parceiros. Os resultados apenas reforçaram o que realmente se suspeitava: após 23 anos, os significados e sentimentos associados à marca do banco já não refletiam o seu propósito, os seus valores, e a sua visão de futuro. Com a necessidade de Rebranding à vista, em fevereiro e março de 2017 os esforços voltaram-se para a análise das informações adquiridas e para a modelagem do da estratégia de mudança. Em maio, o maior passo dessa mudança foi vislumbrado, a real necessidade de mudar o nome e o logotipo do banco. Assim, o Banco Intermedium – palavra em latim, extensa e formal – se tornou Banco Inter: um nome mais curto, simples e amigável, condizente com uma empresa inovadora e totalmente focada em relacionamento.

Depois de tudo elaborado, a mudança começou internamente, com um grande evento de lançamento em primeira mão para os funcionários, em junho de 2017. O evento contou com uma estrutura impressionante, os prédios foram plotados com a nova marca, camisas foram entregues a todos os funcionários, as paredes internas foram adesivadas. Tudo contribuiu para que os funcionários reconhecessem a mudança, e como foi dito, a abraçassem. No mesmo dia, foi lançada uma campanha de publicidade com alcance nacional e a nova marca foi comunicada pela imprensa geral e segmentada.
          Logomarca do Grupo Banco Inter

 

Ficou muito claro que o banco tem extrema consciência de seu DNA inovador e dos diferenciais que trouxe para o mercado financeiro. Portanto, a mudança, foi vista como uma necessidade e pensada nos mínimos detalhes. Primeiramente de forma interna, o que para o público que ela pretende alcançar e impactar, é mostrada e vivenciada de forma extremamente genuína. E quando passou a ser feita e divulgada na prática, foi abraçada por todos, desde os donos até os clientes, gerando resultados quase que imediatos: um aumento no número de correntistas que passou de uma média de 80 mil para impressionantes 230 mil em pouco mais de três meses.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *