Rede Minas | E a arte, como fica?

Já falamos de Jornalismo, de Produção, roteiro, marketing e outros tantos componentes que fazem parte da rotina de uma emissora pública. E agora, para finalizar nosso trabalho em conjunto com a Rede Minas, falaremos no post de hoje um pouco sobre a rotina do Departamento de Arte da emissora, responsável por cuidar de toda a imagem institucional da mesma.

Como falado no parágrafo anterior, o departamento de arte é o responsável por criar toda a imagem institucional da empresa, o que vai desde a manutenção da logo até o design dos programas (incluindo cenário e vinhetas, por exemplo). Em nossa conversa com os responsáveis pelo setor, nos foram mostradas algumas das tarefas que eles devem cumprir ao longo de sua rotina, como é o caso da repaginação de alguns programas. Em casos de programas que tiveram seu cenário alterado devido à mudança de sede, o departamento fica responsável por adequar a arte do programa ao seu novo formato. Seja um trabalho de refação parcial até uma reconstrução completa da identidade do programa, são eles os responsáveis por deixá-los prontos para serem veiculados.

No entanto, seu trabalho não está limitado à programação, como aconteceu recentemente com uma lapidação da logo da empresa. Ela que já fora, no começo, uma figura composta por triângulos, hoje é uma forma retangular trabalhada com o positivo e negativo, tendo o branco, o vermelho e o preto como cores base. Contudo, fora feito um trabalho de lapidação da logo para que ela se tornasse mais moderna e mais adequada para a identidade que a emissora queria passar de si mesma. Nesse caso foram trabalhados os negativos e positivos, bem como a fonte, que agora é um pouco menos pontuda e “agressiva”.

Mas nem tudo são flores. Assim como já fora apontado outras vezes ao longo de nossa pesquisa em conjunto com a emissora, o Dep. De Arte também sobre com as limitações impostas pela verba reduzida da empresa. Eles nos contaram que o principal desafio que eles devem enfrentar, atualmente, é a falta de uma pesquisa mais elaborada para a realização de seus trabalhos, o que faz com que o trabalho se torne muito mais intuitivo.

Trabalhando com uma equipe bastante reduzida, o Dep. de Arte é responsável pela criação e manutenção da identidade institucional da empresa no ambiente da televisão – tendo em vista que o setor de marketing (junto ao Núcleo Web) é o responsável por essa tarefa nas redes sociais. De vinhetas à cenários completos, o trabalho dos designers da Rede Minas é bastante agitado, mas que tem gerado bons resultados para a emissora.

 

Núcleo Transmídia

E se você pudesse acessar conteúdos extras referentes ao programa que você está assistindo, pela própria TV e sem precisar de se conectar à internet? É exatamente essa proposta que o Núcleo Transmídia da Rede Minas está trabalhando para conseguir levar aos seus consumidores.

O serviço consiste num pacote de dados enviados junto ao sinal da televisão para aparelhos com conversor digital. Pela própria TV, então, é possível acessar uma série de conteúdos extras enquanto a programação está no ar, como matérias, datas de eventos e jogos, no caso da programação infantil. O melhor de tudo é que esse serviço não precisa de conexão com a internet.

A proposta inovadora faz jus aos valores da emissora, que deseja levar conteúdo de qualidade, educação e cultura para seu público, de forma democrática e gratuita. Infelizmente a função ainda não está disponível, muito se deve pela transição de uma sede para outra, o que fez com que o projeto tivesse um pequeno atraso. Entretanto a equipe está dando duro para disponibilizar o serviço o mais rápido possível, e levar conteúdo extra para as casas dos telespectadores na região metropolitana de Belo Horizonte.

 

No post de hoje encerramos nossa pesquisa junto a Rede Minas. Falamos um pouco sobre o Dep. de Arte e o Núcleo Transmídia, dois setores que visam inovar e superar os limites impostos pela verba reduzida. Ao longo desse projeto pudemos ver de perto mais daquilo que está por trás da ‘mágica da televisão” e, principalmente, podemos notar o quanto a integração entre os setores e os funcionários é importante para a realização de trabalhos cada vez melhores e substanciais. Foi uma experiência única!

 

Ana Carolina Vaz, Débora Maia, Jhonnathan Gomes, Mateus Henrique Machado, Victor Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *