#RedeFace ‘Pérolas Fafich’: humor, política ou crítica social?

Por Clara Braga, Harlley Soares e João Vítor Marques

Apesar de de a proposta inicial da “Pérolas Fafich” ser fazer humor sobre assuntos relacionados à Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, a página vai além. Política, feminismo e outras questões sociais fazem parte das discussões propostas pela Fan Page. Diante dessa grande mistura de temas, qual seria o principal assunto debatido pela “Pérolas”? Essas discussões se restringem a assuntos ligados à Fafich?

Para tentar responder a esses questionamentos, analisamos a interação entre a “Pérolas Fafich” com outras páginas do Facebook através da ferramenta Gephi. A coleta de dados feita no dia 30 de abril com o Netvizz levou em conta interações de grau 1 e 2, a partir da opção “Page Like Network”. Foram identificados 414 nós e 3269 arestas na rede.

321

Posts que identificam a variedade de temas da “Pérolas”

O estudo investigou graus de entrada e de saída, identificou grupos que trocam interações e analisou a ‘auto-identificação’ das páginas, a fim de tentar definir a identidade da “Pérolas”.

Rede dispersa

A grande variedade de temas tratados pela “Pérolas” faz com que as as páginas curtidas por ela criem uma rede dispersa. Com isso, percebemos blocos de interesses distintos num grafo pouco usual neste tipo de análise. Páginas de shows de TV, de história, de humor, de feminismo e relacionadas à UFMG fazem parte da rede criada.

A visualização dispersa significa que há diálogos sobre temas diferentes entre diferentes blocos de nós, que se agrupam por afinidade de debates. Podemos atribuir esse tipo de grafo à diversidade de temas tratados pela “Pérolas”, que seria um grande agregador de conteúdos variados. Essas páginas de diferentes temas, no entanto, dialogam pouco entre si – outro fator que cria a dispersão.

Imagem 1

Visão geral da rede a partir da opção “Visualização”, do Gephi.

Entrada e Saída

Apesar de os assuntos abordados pela “Pérolas Fafich” serem comuns a várias páginas da rede, não há tantas interações de mão dupla. Ou seja: a “Pérolas Fafich” curte 43 fan pages, mas poucas vezes é curtida de volta. Interação de mão dupla ocorre apenas com três páginas (as únicas que curtem a “Pérolas”): “Spotted: UFMG”, “Spotted FALE – UFMG” e “Quero que você morra”. Dessa forma, seu grau de entrada corresponde a apenas três.

Já o grau de saída (um dos maiores da rede) apresenta relações unidirecionais variadas – o que indica a mistura de assuntos e interesses da página.

Entradacerta

Grau de entrada baixo (3).

saidacerta

Grau de saída alto (43).

Com isso, percebemos a primeira característica evidente da “Pérolas”: a ausência de busca por interações mútuas. Apesar de curtir muitos nós, a página em questão não “conversa” com outras para buscar uma possível “troca de curtidas”, o que agruparia a visualização e também possibilitaria uma divulgação mútua das páginas.

Nem mesmo páginas relacionadas à UFMG e à Fafich curtem a “Pérolas”, o que impossibilita o surgimento de uma comunidade mais coesa.

Análise por modularidade

Para entender as conexões tão dispersas entre páginas no grafo, os nós foram separados por modularidade. Deste modo, seis categorias foram percebidas ao aplicarmos a opção “Modularity Class”. O Gephi distancia ou aproxima páginas e aglomerações baseado na modularidade e na quantidade de páginas que, além da página principal, curtem umas as outras. O grafo da “Pérolas” se caracteriza principalmente pela dispersão dos nós, que mostra a heterogeneidade da página.

Categorias

Visão geral das seis categorias criadas a partir da aplicação da “Modularidade”, no Gephi.

Observa-se a diversidade de assuntos que são de interesse da página, apesar de nem todos serem abordados em suas publicações.

Dentre nós curtidos pela “Pérolas Fafich”, dois formam grandes aglomerações bem dispersas da página analisada. Um é capitaneado pela página do seriado “House” e outro pela página do canal de TV “HISTORY”. Outros dois grupos menores são formados a partir das interações que se dão entre as páginas “Universidade Federal de Minas Gerais” e seus curtidores e “Revista de História da Biblioteca Nacional” e seus curtidores. Há ainda mais dois grupos: um de páginas feministas e outro com conteúdos que variam de política à humor e música.

PEROLAS

Diversidade de arestas criadas pelas curtidas da “Pérolas”.

 A análise da rede pretende investigar cada uma das categorias, com um aprofundamento maior no grupo que engloba a página “Pérolas Fafich”.

1. TV Show: FOX (amarelo)

Categoria-1-449x304 House

Visão do Grupo 1

A comunidade mais densa é a que identificamos como “TV Show: FOX”. Inicialmente pouco relacionadas ao ‘Pérolas’, o grupo é formado por diversos programas televisivos, especialmente da rede FOX: Family Guy, Glee, Fox 11 Los Angeles, New Girl, American Dad. As páginas formam um cluster, pois trocam curtidas e apresentam uma relação forte entre si pelo fato de serem de uma mesma produtora. Todas apresentam alto grau de entrada e de saída.

O que essas páginas têm a ver com o ‘Pérolas Fafich’? Há uma ponte que liga esse grupo ao nosso objeto de estudo: House. À princípio, a série tem pouca relação com o conteúdo do ‘Pérolas’, configurando um interesse pessoal do dono da página.

Um nó que ganha importância é a “Entertainment Weekly”, que é ponte entre os quatro grupos analisados.

2. TV Show: HISTORY (vermelho)

Categoria-2-449x304

Visão do Grupo 2.

Neste segundo agrupamento, percebemos novas interações entre programas de TV. Desta vez, a ponte entre o Pérolas e esse grupo é o canal History, que interage reciprocamente com o Vikings, Pawn Stars on History, The Universe, American Pickers on History, por exemplo. Esse grupo é menos denso que o primeiro, mas apresenta uma quantidade relevante de interações.

Neste caso, a relação com o canal de história indica uma preferência do dono do “Pérolas” (seria ele aluno de História?). Aponta também para uma preferência da página por conteúdos que estejam relacionados ao social e à política, temas que fazem parte do contexto do canal de TV e da história.

3. História (roxo)

Categoria-3-449x304

Visão do Grupo 3.

O terceiro grupo encontrado também tem a ver com história. A página com maiores graus de saída e de entrada é a “Revista de História da Biblioteca Nacional”, que é curtida pelo ‘Pérolas’. Neste grupo, há reciprocidade de interações. AMPUH, Imagens Históricas, Casa de Rui Barbosa trocam curtidas. A análise entende que essa movimento funciona tanto por elas apresentarem conteúdos semelhantes quanto para a troca de divulgações.

Mais uma vez, percebe-se força de conteúdos relacionados ao social e ao político – que dizem respeito ao interesse da “Pérolas” por história.

4. Cultura e diversidade (verde claro)

Categoria-4-449x304

Visão do Grupo 4.

O quarto agrupamento é heterogêneo – e sua disposição indica bem isso. Página cultural, como a Fundação Clóvis Salgado, exerce influência, apresentando altos graus de saída e de entrada, além de ser curtido pelo ‘Pérolas’. O grupo apresenta proximidade ao do Pérolas (agrupamento 6), o que indica uma relação mais próxima.

A presença de Coldplay, Austin City Limits, Nirvana e “Eu não quero José Serra Presidente do Brasil”, no entanto, dão a dimensão da diversidade do grupo e mostram quão diversas são as interações – ainda que de segundo grau – do Pérolas.

Entre as páginas com mais relevância no grupo estão a Revista Piauí, a Fundação Clóvis Salgado e Eu não quero José Serra Presidente do Brasil. Percebe-se então uma mistura entre cultura, política e humor relacionados ao “Pérolas”.

5 – Feminismo (azul)

Categoria-6-449x304

Visão do Grupo 5.

O quinto agrupamento de páginas é o que apresenta maior proximidade ao do Pérolas.

Ele é composto basicamente por páginas de conteúdo feminista: “Não é não.”, “Capitolina”, “O machismo nosso de cada dia”, “Blogueiras Feministas” e “Girafales Amansado” são exemplos com altos graus de entrada e saída. “Travesti Reflexiva” também faz parte do grupo.

São vários os nós que curtidos pelo Pérolas. Essa proximidade com a página em questão indica a força que conteúdos feministas e de crítica social têm.

6 – UFMG (verde escuro)

6-449x304

Visão do Grupo 6.

Há um agrupamento que engloba principalmente páginas da UFMG. Os três nós que curtem o “Pérolas” (Spotted Fale, Spotted UFMG e Quero que você morra) fazem parte deste grupo. No entanto, a maioria das páginas relacionadas à Universidade estão relativamente distantes do ‘Pérolas’ – o que indica uma interação não tão forte quanto nas comunidades percebidas em outros grupos.

Ao analisarmos, percebemos que a relação entre Spotted UFMG e o ‘Pérolas’ é importante, uma vez que há a troca recíproca de curtidas. No entanto, ela não configura a relação esperada entre páginas da Fafich/UFMG.

Apesar de não existirem relações com Fan Pages político-partidárias, percebemos associações com ideias de esquerda. De uma forma ou de outra, as páginas classificadas como “Causas” são tanto sociais quanto políticas.

Análise por categoria

Na rede, estão presentes em 68 categorias de páginas do Facebook. As mais recorrentes são: Community (16,18%), TV Show (13,53%), Musician/band (8,45%), Media/news/publishing (6,04%), Non-profit organization (4,35%) e University (3,62%).

este

Relação das principais categorias presentes do grafo em porcentagem.

Diante das categorias envolvidas, a “Pérolas Fafich” está alocada em Fictional character, junto de outras cinco páginas. Duas delas também estão relacionadas a Universidade: “Spotted FALE” e “Enquanto isso na FACE”. As demais páginas – como a “Girafales Amansado” – postam críticas sociais e conteúdos políticos, na maioria das vezes pautados com humor sarcástico. Somadas, as seis páginas correspondem a 1,45% do total analisado no grafo.

“Comunidade” é a categoria mais frequente e engloba diversos conteúdos. Se olharmos mais de perto, no entanto, percebemos que uma quantidade considerável dessas páginas (em branco) estão localizadas no grupo 5, o feminista.

caterSem título

Comunidades identificadas em branco.

 

Há uma quantidade considerável de páginas que se identificam como “Causa” (2,17%), o que dá a entender novamente a força do social na “Pérolas”.

Já a categoria que engloba “comédia” e “humor” corresponde a 0,24% e nem aparece entre os primeiros do ranking. 1,21% das páginas se identifica como “Site de entretenimento”.

O número de páginas relacionadas à Universidade é grande e confirma a proximidade da “Pérolas” aos assuntos ligados à UFMG.

Conclusão

Com a análise, nossa principal hipótese inicial foi descartada. Antes, a ideia era de que as páginas relacionadas à Fafich ou à UFMG trocavam curtidas, formando uma comunidade. No caso do ‘Pérolas Fafich’, a afirmação não se confirmou. Com apenas três curtidas recebidas de outras páginas, este nó apresenta baixíssimo grau de entrada.

O alto grau de saída e os temas que perpassam as publicações da página fizeram com que o grafo geral fosse muito disperso, com temas diversos. São duas categorias relacionadas à TV, que à princípio pouco tem a ver com o ‘Pérolas’. A categoria ‘History’ ganha força a partir do momento em que existe outra categoria também fala de história, o que indica a aproximação com o tema – que, de uma forma ou de outra, diz de discussões sociais e políticas.

‘Cultura e diversidade’ apontam para uma heterogeneidade de temas, indicando a própria variedade que perpassa o ‘Pérolas’, mas é um agrupamento bastante disperso.

A categoria ‘Feminismo’ é preponderante para a definição da identidade do ‘Pérolas Fafich’. Ela é a mais próxima da categoria da página em estudo, o que indica uma semelhança de temas.

A última categoria, intitulada ‘UFMG’ diz de páginas relacionadas à Universidade. No entanto, engloba nós sobre outras temáticas.

Quanto à identidade da página, a “Pérolas” se descreve assim:

“Onipresente, passando o bonde faficheiro cheio de caozada. Vindo diretamente da deep Fafich pra fazer a egípcia na cara das olavetes do meu Brasil.”

A própria descrição já mistura política e humor. É natural que temas que se relacionem a discussões recorrentes na Fafich (feminismo, política, crítica social) estejam presentes numa Fan Page que se utiliza da ironia e do sarcasmo para criticar e fazer rir.

Os limites tênues entre humor e política se fazem presentes. Mas há postagens apenas de humor e outras apenas de política ou crítica social. Por isso a intenção de compreender o principal interesse da “Pérolas”.

Com a análise, percebe-se que quatro grupos se relacionam direta ou indiretamente com o social. ‘Feminismo’ é o mais forte. Apesar da variedade de temas, as duas de história e a cultura e diversidade também apresentam relações indiretas.

Dessa forma, mesmo com o nome que remete ao humor, o ‘Pérolas Fafich’ tem mais relações com páginas que apresentam críticas sociais. A maior proximidade com um ambiente político e de crítica social indicaria então um viés ideológico forte – e até maior que o viés humorístico, proposto inicialmente.

Apesar de dados sobre curtidas nos indicar todas essas informações, um outro ponto a ser explorado futuramente pode ser uma ‘Nuvem de Palavras’ das postagens do ‘Pérolas’, que também dariam várias pistas sobre a identidade da Fan Page.

Equipe

Clara Braga, Harlley Soares e João Vítor Marques 

Etapas desta publicação

Proposta  Desenvolvimento

8 comments

  • saulogargiulo

    Bom dia.

    Eis a Fafich novamente! Meu trabalho não foi sobre a mesma página que o de vocês, mas como devem se lembrar da apresentação em sala, foi sobre a página D.A Fafich.

    Reparei que nossos trabalhos apresentaram alguns dados em comum. Entre eles a modularidade “UFMG”. O Gephi acabou em ambos os casos separando as páginas relacionadas diretamente com a universidade. E é interessante também perceber que uma única página curte e é curtida pouco por outras possui um “backstage” tão grande de relações, quando analisamos as interações de grau 2. Excelente trabalho!

    • João Vítor Marques

      Valeu, Saulo!

      Um fator que ampliou a rede criada a partir da Pérolas Fafich foi o alto grau de saída da página. Além disso, tem o fato de ela curtir páginas grandes (canais de TV, por exemplo), que possuem muitas curtidas.

  • Laura Tupynamba

    Gostei muito do trabalho apresentado. Completo e rico em análise, trabalhando os diferentes grupos apontados pela ‘modularidade’ e com várias imagens ilustrativas.

  • Caio Paranhos

    Gente, o trabalho de vocês ficou muito bom e completo. Adorei os prints dos posts e a imersão nas páginas citadas. Deixou a análise muito clara para quem lê. O Pérolas existe já há alguns anos na Fafich e antes ele era bem mais atuante nas redes sociais, inclusive blog, twitter e o famoso tumblr dos lindões da Fafich (que já foi apagado). O Pérolas brincava, sobretudo, com o estereótipo do faficheiro, fazia fofoca e havia um mistério sobre quem estava por trás da página, uma espécie de Fafich Gossip Girl. A análise dá algumas dicas de que provavelmente é um aluno da História, misturando seus interesses pessoais com os da página. A rede dispersa não é uma surpresa e as conexões com a universidade e a rede feminista é esperada.

    Abraços

    • João Vítor Marques

      Caio, confesso que não sabia desse histórico da página.

      Esse estereótipo faficheiro é abordado ainda, mas tenho a impressão de que o foco do Pérolas se ampliou. Cê concorda?

      Também não sabia que havia esse mistério sobre quem estava por trás da página… esse fato acaba dando uma força maior a nossa impressão de que é um aluno de História. É uma informação para se acrescentar na análise…

      Por ser uma página antiga, fica ainda mais estranho pensar que ela é pouco curtida por outras páginas da Fafich. Essa falta de diálogo diminui a divulgação…

      • Luís Felipe Garrocho
        Luís Felipe Garrocho

        Talvez seria interessante abordar a questão do anonimato do criador da página – ou seja, da identidade da página sendo construída quase que inteiramente através das relações entre nós e das ações da mesma nas diferentes redes sociais. Talvez cabia voltar em algumas postagens mais antigas ou ir no twitter da página para observar possíveis controvérsias e relações que completassem a análise.

        Posto isso, eu – como ex-aluno de história, posso confirmar que sim, quando começou era um aluno do curso de História que fazia. Agora eu já não sei mais.

  • Carlos d'Andréa

    Ei, grupo,
    como comentamos em sala, é uma rede bem peculiar se comparada com as demais… Gostei do trabalho! abs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing