#RedeFace ZiNas: O Facebook no desenvolvimento de publicações independentes

Por Mariana Gonzaga

Utilizou-se o aplicativo Netvizz, no dia 29 de abril de 2015, para extrair dados relativos a “page like network” da página do Facebook  ZiNas, que contava com cerca de 2300 likes na data. Obteve-se uma rede com 932 nós e 7449 arestas. Com o auxílio do software Gephi, foram produzidas visualizações da rede. Foram gerados gráficos com o Layout Force Atlas 2.

Inicialmente, a observação cuidadosa dos gráficos não foi possível devido a falta de um mouse, o que impediu o zoom, feito pelo scroll. Essa é uma limitação do software, que dificulta sua utilização em notebooks. Para um estudo mais detalhado, foi necessário adquirir um mouse.

Foram feitas análises com as opções Category (divide as páginas de acordo com suas categorias no Facebook) e Modularity Class. Esta última faz uma divisão do gráfico colorindo os nós de acordo com critérios determinados pelo software, desconhecidos inicialmente. Objetiva-se esclarecer o que os nós pertencentes a grupos de mesmas cores poderiam ter em comum.

O ranking foi variado de acordo com números de curtidas ou likes (like_count), talking_about_count, InDegree e OutDegree. A visualização dos nós tornou-se extremamente difícil na opção like_count, por causa da presença de páginas com milhões de likes, como Beyoncé (mais de 63 milhões, o maior nó da figura abaixo, em cor-de-rosa) e Nicki Minaj (mais de 42 milhões, o segundo maior nó da figura abaixo, em azul).

like_count visualização

Gráfico produzido no Gephi: Layout Force Atlas 2, Modularity Class, distribuição de tamanho (de 2 a 50) dos nós de acordo com like_count.

Essa questão também foi encontrada com a opção talking_about_count, com grande destaque para páginas como Humans of New York e Catraca Livre (na figura abaixo, em rosa e vermelho,respectivamente)

talkingabout

Gráfico produzido no Gephi: Layout Force Atlas 2, Modularity Class, distribuição de tamanho (de 2 a 50) dos nós de acordo com talking_about.

O mesmo problema foi encontrado na opção OutDegree, pois uma das páginas (xereca, o maior nó da figura abaixo, em azul) teve enorme destaque e os tamanhos das outras ficaram muito similares, impedindo uma visualização e identificação proveitosa.

outdegree visualização

Gráfico produzido no Gephi: Layout Force Atlas 2, Modularity Class, distribuição de tamanho (de 2 a 50) dos nós de acordo com OutDegree.

Essas páginas não são o foco principal deste trabalho, e em uma quarta opção, InDegree, foram encontrados valores mais equilibrados, o que permitiu uma melhor visualização e motivou a escolha dessa opção para um estudo mais detalhado.

A tabela a seguir reflete essas diferenças entre as opções citadas anteriormente.

tabelas

Tabelas das opções de ranking testadas: like_count, talking_about_count, OutDegree e Indegree.

Equipe

Mariana Gonzaga 

Etapas desta publicação

Proposta  Produto

4 comments

  • Luís Felipe Garrocho

    Oi Mariana, modularidade mede a força da divisão de um rede entre módulos (ou grupos, comunidades, etc…) Uma alta modularidade significa que – num mesmo grupo – que a gente encontra conexões mais densas. E caso os grupos estejam mais espalhados, conexões mais esparsas. A ideia e tentar, de acerta maneira, enxergar estruturas de comunidade.