#RedeFace Análise das Interações entre páginas, D.A. Fafich

Aluno: Saulo Gargiulo Gonçalves

Sobre a Análise.

Durante o seguinte trabalho, analisarei as interações entre páginas no facebook que curtem e são curtidas pela página do diretório acadêmico da Fafich (Faculdade de Filosofia e Ciências humanas) da UFMG. A página D.A Fafich (https://www.facebook.com/dafafich?fref=ts)  é fonte de informação sobre eventos culturais, palestras, manifestações e protestos no âmbito da universidade e fora dela.

A página possui 1312 curtidas sendo 440 provenientes de páginas, e não de perfis pessoais no facebook. Para analisar as interações utilizei o aplicativo “netvizz”, no próprio facebook, para coletar dados de segundo grau sobre a página. E usando o software Gephi criei um infográfico desses dados. Usei essa apresentação virtual de dados para descobrir onde exatamente a página D.A Fafich se encontra na rede, e seria possível traçar tal local, e outras informações.

Conceitos importantes.

A coleta de dados com o aplicativo “netvizz” foi realizada buscando páginas, chamadas de “nós”, que interagem com páginas, não procurando assim, interações entre perfis pessoais e a página D.A Fafich. O grau de busca foi ” depth 2″, o que no aplicativo significa uma profundidade na coleta de dados que corresponde não somente as páginas que interagem com a que será analisada, mas também com as páginas que interagem com essas páginas.

As páginas expostas nos gráficos, gerados pelo Gephi, são representadas por círculos. Quanto maior o número de relações, maior o tamanho. As interações dizem respeito ao curtir e ser curtido entre entre as páginas, demonstradas por “arestas”, traços que conectam um nó e outro.

Essa relação entre curtir e ser curtido será tratada aqui como “grau”. “Grau de entrada” significa o o volume, quantitativamente falando, de quem recebeu curtidas, e “Grau de saída” corresponde a páginas que curtem outras páginas.

Análise.

Infográfico Geral criado pelo Gephi (após executar Modularidade).Rede Geral

O Gephi encontrou 1877 arestas entre os 440 nós. E analisaremos os dados de cada grupo em relação aos graus de entrada e saída. De forma geral a página do facebook que teve maior entrada e saída de arestas (interações), foi curiosamente a mesma, o perfil da União Nacional dos Estudantes(https://www.facebook.com/uneoficial?fref=ts).

Grau de Entrada:

GE

Grau de Saída:

gs

Não surpreende tanto o perfil da União Nacional dos Estudantes ter alto grau de entrada, já que é a principal entidade estudantil de ensino superior brasileira, tendo 168.548 curtidas. Mais do que natural que a página D.A Fafich esteja relacionada com nós sobre outras universidade e temas que abrangem o ambiente estudantil, ambiente universitário e acadêmico.

A surpresa vem do fato  dela também figurar como a página que têm o maior grau de saída, relembrando que “grau de saída” corresponde ao número de páginas que esta curtiu. Dentre a rede de interações da D.A Fafich a União Nacional dos Estudantes é a que mais curte outras páginas nessa profundidade de análise.

 A rede por partes…

A opção de “Modularidade” do Gephi, separa os nós do infográfico segundo a densidade das relações. Densidade essa que significa nós que se curtem uns entre os outros, tornando possível assim a separação entre grupos destes nós, e uma categorização e classificação dos mesmos segundo critérios de quem observa.

Usando esse recurso encontrei seis grupos, separados por cores. E é através dessas cores que irei me referir aos emaranhados de nós. Para analisar os grupos utilizarei apenas o grau de entrada. Optei por essa priorização devido a meu interesse pessoa na popularidade dessas páginas.

O grupo verde que têm a UNE como maior nó, trata principalmente de páginas sobre movimentos estudantis, algumas universidades como a USP.Como pode ser observado abaixo os perfis do Catraca Livre (https://www.facebook.com/CatracaLivre?ref=ts&fref=ts) e do Ministério da Educação (https://www.facebook.com/ministeriodaeducacao?fref=ts).

screenshot_201032Já o grupo rosa, como podemos ver na imagem, traz interações entre nós de representações estudantis mais diretas, no sentido de serem sobre DCE’s de várias instituições. O grupo em questão parece mais relacionado devido ao cunho da página como Dce LivreUfscar (https://www.facebook.com/pages/DCE-Livre-UFSCar/119866884782714?ref=ts&fref=ts) E O Diretório Central dos Estudantes- UFC (https://www.facebook.com/DCEUFCoficial?fref=ts)

Grupo 6

O grupo preto traz nós de perfis ligados ao governo, mais precisamente às entidades governamentais. Não há uma página isolada que se destoe tanto das demais, como no caso do grupo verde. Temos a página da Funarte (https://www.facebook.com/funarte?fref=ts) e do Ministério da Cultura (https://www.facebook.com/MinisterioDaCultura?fref=ts).

GRUPO PRETOO nó presente no círculo é o do Conselho Nacional de juventude, página com maior número de arestas deste grupo.

O grupo azul, curiosamente está relacionado as páginas de cunho noticioso e jornalístico. Figuram predominantemente, e sem grandes destaques em relação ao tamanho dos nós, perfis oficiais de veículos de comunicação.

GRUPO AZUL

Engraçado notar que a página de notícias amadora “NINJA” (https://www.facebook.com/midiaNINJA),  tem maior peso que outros nós, que representam veículos de comunicação com  tradicional credibilidade. O grau de entrada do nó  NINJA é maior que a página oficial da Carta Capital(https://www.facebook.com/CartaCapital?fref=ts).

Além de perfis de mídia, o restante dos nós do grupo azul tem haver com questões voltadas a informação de forma geral, como o perfil do “Wikileaks” e a página dos “Jornalistas Mineiros”.

O grupo vermelho não poderia ostentar melhor cor. Os nós estão longe de figurar entre os que têm maiores graus de entrada, ao lado dos grupos amarelo e preto. Os nós desse conjunto em específico tratam principalmente da reivindicação de direitos sociais, luta contra o preconceito, homofobia e machismo. Interessante observar que a página do deputado Jean Wyllys (https://www.facebook.com/jean.wyllys?fref=ts) se encontra nesta rede, outras páginas são UFMG Livre (https://www.facebook.com/UfmgLivre?fref=ts) e Moça você é machista (https://www.facebook.com/MocaVoceEMachista?fref=ts).

GRUPO VERMELHO

Amarelo: Jean Wyllys. Rosa: Moça você é Machista. Laranja: Mães pela igualdades. Roxo: UFMG Livre.

É exatamente neste grupo que se encontra o perfil do D.A Fafich. Interessante observarmos que o caráter político de esquerda, tradicionalmente associado a esse prédio e seus alunos, acaba por ter influência nas redes por meio da ação de estudantes e vínculos entre páginas.

A página D.A Fafich tem grau de saída ligeiramente menor que o grau de entrada. É um nó pequeno comparado aos de outras cores. O nó tem um tamanho razoável para o grupo de cor vermelho, se assemelhando, neste aspecto as outras páginas. Mas nem de longe figura entre os nós mais “importantes” no gráfico.

O D.a Fafich curte mais páginas relacionadas a UFMG, curtindo, muito timidamente, nós de cunho não universitário ou que não tenha temática atrelada a área de humanas, por assim dizer. Já  entre  as páginas que curtem o D.A Fafich, temos o Fórum das juventudes da Grande BH, o Diretório Central do Estudantes UFMG (DCE-UFMG) (https://www.facebook.com/dceufmg?fref=ts), Uee Minas Gerais (https://www.facebook.com/ueeminas?fref=ts).

Com o gráfico criado pelo Gephi demonstrando o grau de entrada da página título desse trabalho, observei que não é possível rotular ou padronizar as páginas que a curtem . Há uma tendência, no sentido de várias dessas páginas serem relacionadas a UFMG, a outras universidades, e a movimentos sociais e estudantis

D.A Fafich na rede (nó vermelho dentro do círculo preto.).

D.A FAFICH

Por fim chegamos ao grupo menos expressivo da rede: o amarelo. Como se pode observar, na imagem abaixo, o assunto tema dessas páginas é variado. São algumas universidade regionais, a Comissão Nacional da Verdade. Observando a densidade do grupo amarelo, suponho que esses nós se relacionam  por critérios poucos precisos e mais nebulosos.

GRUPO AMARELO

Laranja: Comissão Nacional da Verdade. Rosa: Diretório Acadêmico Drummond.Vermelho: Uee Minas Gerais.

E, por fim, o grupo que aparentemente possui o maior número de nós. O grupo Azul Claro. Os nós desse grupo estão conectados devido a sua relação direta com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)(https://www.facebook.com/pages/Universidade-Federal-de-Minas-Gerais-UFMG/482108908620171?fref=ts). Possui dois nós principais, o Universidade Federal de Minas Gerais (https://www.facebook.com/ufmgbr) e o Diretório Central dos Estudantes UFMG (DCE-UFMG) (https://www.facebook.com/dceufmg?fref=ts).

Confira:

GRUPO AZUL CLARO

Laranja: Diretório Central dos Estudantes UFMG (DCE-UFMG). Vermelho: O nó central é a página da Universidade Federa de Minas Gerais. Na área do círculo encontramos Rádio UFMG Educativa, Festival de Inverno da UFMG, Boletim UFMG.

Reflexões.

Inicialmente acredito que tomei a decisão correta ao descartar alguns pontos da minha proposta. Ambos referentes ao número de curtidas das páginas da rede, ou tentar realizar paralelos nesse sentido. Acabei descartando também uma análise sobre a auto-definição dessas páginas na rede.

Devido a algumas dificuldades com o Gephi, mouse do notebook, e tempo corrido para produção desse projeto. Acabei descartando esses dois pontos que me propus a observar, em prol de um análise mais simples quantitativamente falando, porém, com maior qualidade.

Sobre a página D.A Fafich no gráfico, é possível criar algumas hipóteses a respeito do seu  “lugar” na rede social facebook. Através da separação por cores, e análise separada de temas fica nítido como a página, dentro do grau 2 de profundidade, está inserida em um ambiente de discussão acadêmica, política, social e cultural. Era esperado algum resultado semelhante a este, visto a presença do movimento estudantil e de movimentos sociais nos corredores da Fafich.

De várias formas, as postagens da página refletem seu nicho no facebook. Alguns pontos me surpreenderam como o perfil do deputado Jean Wyllys, o grau de entrada e saída da União Nacional dos Estudantes, e principalmente a forma como tantas páginas podem estar em um nicho relativamente pequeno, se pensarmos que o ponto de partida foi uma página com menos de 2000 curtidas.

É curioso perceber que a página D.A Fafich, mesmo sendo o ponto inicial e foco deste trabalho, têm pouquíssimo destaque no infográfico criado pelo Gephi. A página  não é tão expressiva quanto imaginava que seria. Pensar sobre uma página, com mais de 1300 curtidas, tendo tão pouca expressividade no infográfico me levam a concluir que cada página no facebook está inserida em uma rede muito maior, e não necessariamente é o protagonista dessa trema de interações.

Me pergunto, ao refletir sobre a página da União Nacional dos Estudantes, que tem o maior grau de saída e de entrada, se essa política de “Se você me curte eu também te curto”, realmente acontece de forma expressiva na rede e se talvez seria uma estratégia de mídia digital válida. Me pergunto se ser cordial ou permissivo com seu like pode ser benéfico para que determinada página alcance seu objetivo. A resposta é meio nebulosa, mas vendo o quanto se destoa a página da União Nacional dos Estudantes das demais, tendo para um sim.

São muitos dados ainda a ser explorados neste gráfico. sendo que D.A Fafich possui 1312 curtidas. Imagino como seria analisar os mais de 800 perfis pessoais que ficaram de fora dessa análise? Sem dúvida, muito ainda pode ser explorado sobre essa página, sempre com recortes e pontos de vista diferentes.

Um ponto que me chamou bastante atenção no meu trabalho e no de meus colegas é uma suposta “regionalização” da rede, no sentido de determinado espaço acaba por ser representado na web. Percebi isso no grupo azul claro, que possui relação de proximidade gritante por serem relacionadas a UFMG.

Não posso afirmar que o espaço físico da UFMG esteja relacionado com a rede “ufmg”. Seria uma proposição errada visto que todas tem maior ligação com a instituição do que apenas o local físico.

O próprio facebook não libera dados sobre perfis oficiais. Sendo que essas informações valem dinheiro para a rede de várias formas, basta observarmos a publicidade dirigida. Se conseguimos tantas informações para análise, somente observando páginas, fica difícil  imaginar o volume de dados que a empresa possui.

Equipe

Saulo Gargiulo Gonçalves 

Etapas desta publicação

Proposta  Desenvolvimento

13 comments

  • Carlos d'Andréa

    Ei, Saulo, trabalho bem interessante, assim com a conversa com os colegas aqui nos comentários. Duas ressalvas pontuais:
    – é bem importante linkar as páginas citadas (se tiver dificuldades vamos ver isso na aula)
    – Algumas informações de “bastidores” do post poderia estar só na etapa Desenvolvimento, pois não interessam tanto ao “leitor final”…
    abs

    • saulogargiulo

      Boa noite professor.

      Citei algumas páginas no texto e coloquei as URL’s entre parentes, assim o leitor poderá acessar as páginas facilmente.
      Sobre o ponto que se refere a descrições que poderiam estar na etapa desenvolvimento, concordo com o senhor. Porém acredito que alguns detalhes do processo não tornam a análise enfadonha em si, podem justificar alguns aspectos do trabalho que poderiam sanar algumas dúvidas do próprio leitor. Do meu ponto de vista acredito que esses detalhes sobre os softwares usados, algumas dificuldades, que resultaram em escolhas, tornam o trabalho mais completo e atém mesmo mais atrativo a quem lê o produto final.

  • Caio Paranhos

    Parabéns pelo trabalho, Saulo. Sua análise foi bem interessante e mostrou alguns dados surpreendentes. Eu teria um pouco mais de cuidado com o texto, acho que a linguagem pode ser um pouco mais leve. Também não acho que a Mídia Ninja seja uma rede de notícias amadora, eles são muito profissionais. Eles aparecem na rede por se ligarem muito a organizações de esquerda, defesa dos direitos humanos e muitas dessas páginas estão ligadas também à universidade. Abraços

    • saulogargiulo

      Boa noite Caio. Realmente a linguagem poderia ser mais leve. Porém acabamos criando alguns vícios de linguagem dependedendo do propósito do texto que escrevemos. Uma dificuldade que realmente tenho é escrever de forma mais acessível quando estou fazendo um trabalho para a universidade. E sobre a Mídia Ninja, coloquei como amadora, não para por em xeque a qualidade , mas sim, comparando-a a outros veículos de comunicação mais tradicionais, com maior credibilidade, e que já existiam muito antes do surgimento da web.

  • João Vítor Marques

    Fiquei curioso com as trocas de curtidas entre as páginas:

    – Que outras páginas a UNE curte? Sabemos que o movimento estudantil em grande parte é partidarizado. As curtidas entre essas páginas são partidarizadas também ou a UNE curte páginas de DCEs que são contrários a ela, por exemplo?

    Muito interessante o fato de o D.A. não estar enquadrado no grupo rosa, de páginas de instituições estudantis.

    Não entendi muito bem a diferença entre o grupo verde e o rosa e o porquê de o Gephi tê-los separado… De todo modo, esperava uma densidade um pouco maior nesses aglomerados. Estranho notar que não há tanto diálogo entre os DCEs pelo país, o que é prejudicial ao movimento.

    Talvez o fato de a página do D.A. Fafich não ser protagonista esteja relacionado aos graus de entrada e saída da página. No caso do trabalho sobre a Pérolas Fafich, por exemplo, o alto grau de saída colocou a página no centro da visualização, apesar do baixíssimo grau de entrada (3)…

    • saulogargiulo

      Bem João. Não me aprofundei muito sobre a Une, foquei mais em uma análise geral da rede. Mas uma coisa que percebi, e acho que responde bem a suas apontações, é que captamos uma rede atravez dos softwares temos apenas uma parte dessa rede. E por ser apenas uma parte de um bloco, talvez bem maior, de interações nossa vista pode ser limitada. Como no seu trabalho mesmo demosntrou a Pérolas Fafich teve destaque na rede, já o D.A Fafich não.

      Sobre a diferença entre os grupos verdes e rosa. O vede corresponde a páginas de movimentos estudantis de forma geral, mais institucionalizadas ou não, já o rosa tem majoritariamente páginas mais institucionais também atreladas ao movimento estudantil.

  • Mariana Gonzaga

    A modularidade é, para mim, a função mais interessante do Gephi, podemos tirar muitas conclusões a partir dela. Achei bem legal a análise! Também tive esse problema com o mouse, mas acho que você encontrou uma ótima solução com os círculos destacando as páginas e interações.

    • saulogargiulo

      De fato Mariana. A modularidade realmente é uma das funções mais interessante do Gephi. E sobre essa idéia que tive dos círculos, obrigado pelo elogio. Foi a melhor idéia que tive para resolver esse problema de visualização.

  • Clara Braga

    Achei interessanta como, diferente do nosso, as modularidades se misturam no meio do gráfico. Acredito que isso quer dizer que eles se aproximam e se curtem mesmo com assuntos diversos. Talvez seja também por que a página focou bem nos assunto que lhe interessa e as páginas curtidas por ela também.

    • saulogargiulo

      Achei um pouco engraçado isso. Mas de forma geral, com exceção do grupo amarelo, já era de se imaginar as “temáticas” de assunto das páginas que se relacionariam com o D.A Fafich, seja de grau 1 ou 2 de profundidade. Ainda assim acredito que para uma análise mais minuciosa da página, faz-se necessário uma análises dos perfis pessoais. Dados que o facebook guarda à sete chaves.

  • Luís Felipe Garrocho

    Uma outra coisa, é importante dizer como foi o agrupamento. Se foi por modularidade, por categoria? E, caso tenha sido só um, vale a pena olhar a outra opção também. Modularidade é interessante para analisar agrupamentos em comunidade – já a categoria funciona para descobrir como as páginas se colocam. E depois disso, a comparação entre as duas coisas pode gerar descobertas interessantes. Num agrupamento mais político, poderíamos encontrar uma página sobre jornalismo, por exemplo.

  • Luís Felipe Garrocho

    Saulo – primeiramente, dá pra dar uma revisada no texto. Faltaram algumas coisas na postagem como tags, linkagem correta e tem um ou outro problema gramatical.

    De fato, ficou faltando encontrar a página do D.A. já que esse era o ponto principal da proposta. Se ela se colocar no meio da rede fica difícil ver qual a relação se dá na proposta para com o produto. Acho que vale procurar coisas como – qual página foi curtida pelo D.A Fafich que seja mais famosa? E, a partir da opção de “auto-selecionar vizinhos”, ir de uma página mais famosa até a do D.A.