Bancas de jornal no hipercentro de BH

DESENVOLVIMENTO +

[ Descrição do processo ]

A apuração das bancas de revistas do hipercentro foi um processo mais demorado e trabalhoso do que pensamos. A grande quantidade de bancas, a enorme variedade de objetos que elas vendem, assim como as variadas histórias nos gerou muito material.

Após nos dividirmos em grupos e delimitarmos quais áreas seriam de responsabilidade de cada, começamos a percorrer a região do hipercentro de Belo Horizonte, procurando bancas de jornais e revistas. Notamos que em algumas ruas há muitas delas, e em outras quase nenhuma. Ainda assim, não conseguimos registrar todas, já que elas são muitas.

Entrevistamos os donos (ou responsáveis pelas bancas), perguntando há quanto tempo ele trabalhava na banca e quais os produtos mais vendidos, assim como o quê o levou a comercializar outros produtos além dos jornais e revistas. Fotografamos todas as bancas, e em alguns casos, gravamos pequenas entrevistas com os donos.

O tempo gasto também foi um problema: alguns não davam muitos detalhes sobre o trabalho, enquanto outros faziam grandes discursos que saiam do assunto – o que nos tomava um tempo importante. No final, conseguimos entrevistar muitos jornaleiros, e ainda que não tenha sido possível conversar com todos conseguimos muitos dados sobre como estão as bancas de revistas atualmente.

Equipe

Daniel Loiola, Gabriel Zaidan, Guilherme Faria, Victor Rodrigues, Vitor Coutinho

Etapas desta publicação

Proposta
Produto