Rede Minas | Conversando com a Produção

O post de hoje dá sequência ao último quando falamos da nossa visita técnica ao Departamento de Produção da Rede Minas. Se antes acompanhamos o dia-a-dia de algumas das equipes que fazem parte dos programas da emissora, dessa vez falamos diretamente com o Eduardo, que é Gerente de Produção.

Dentre os assuntos conversados, discutimos um pouco sobre como as grades dos programas são construídas. Primeiramente são discutidos com o Kiko quais os programas são viáveis e quais atendem a demanda do público ou da própria emissora. Eles nos contaram que os programas que compõem a grade da Rede Minas são definidos por temas específicos, como filosofia e “infantil”. Dessa forma, caso algum tema relevante esteja faltando, será criado um programa para atender tal demanda, que, em seguida, será determinado seu formato, tamanho e a equipe que ficará responsável por ele.

Segundo o Eduardo, Gerente de Produção, todos os processos de um programa passam por ele, o que existe do produtor executivo entendimento de todos os processos operacionais, como figurino, edição, roteirização e gravação;  quanto dos processos financeiros, ou seja, as demandas de recurso, controle e detalhamento das compras. Por se tratar de uma emissora pública de TV, os recursos financeiros precisam de aprovação por parte do Governo. Para que isso aconteça, é necessário que se faça um orçamento bastante detalhado, onde irão constar todos os gastos, desde maquiagem à montagem de cenário, seguindo, dessa forma, uma legislação e regulamentação. Em casos de emergência, é necessário a utilização do DNPP – fundo de emergência. Devido à burocracia envolvida na parte financeira, leva cerca de – aproximadamente – um ano de planejamento, além de um orçamento detalhado – em caso de programas que conseguem ir ao ar, é necessário, também, se pensar no orçamento do dia-a-dia do programa.

Eduardo, que é formado em Jornalismo, e participou de cursos sobre Marketing e Gestão de Negócios, foi produtor jornalístico até que se tornou produtor executivo. Segundo ele, para atuar nessa área, o conhecimento em gestão de negócios é imprescindível, já que seja exigido desse profissional a capacidade de lidar com os orçamentos de um programa. Contudo, ainda há mais pela frente. É necessário, também,  conhecimento prático, como de cenografia, logística e angulagem, que será importante no exercer de sua área.

Nossa conversa foi, também, com Betty, que é a atual Coordenadora de Produção da Rede Minas e responsável por cuidar da parte operacional e de resolução de problemas que podem surgir durante a execução de um programa. Segundo ela, o produtor deve conhecer todo o processo, já que são diversas as atividades que ele deverá exercer, além de claro, possui bastante disposição. Um dos exemplos dados por ela foi o de um programa que foi gravado em ambiente externo, quase na hora de ser exibido, fazendo com que o produtor precisasse correr atrás do material para entregar para ilha. Essa história nos diz, basicamente, que o produtor deve estar preparado para tudo.

Betty também nos mostrou os bastidores, os camarins, o depósito de cenário e finalmente a sala de figurinos. Nesse momento fomos capazes de acompanhar um pouco do trabalho da Produtora de Moda, responsável pela montagem dos figurinos, e de avaliar como pesam no corpo da apresentadora, a moda que está em tendência, que deverá combinar tanto com a apresentadora em questão quanto com o programa. Já Eduardo nos mostrou um pouco das planilhas de orçamento, onde são encontrados os detalhes do projeto de um programa, e daquilo necessário para ser colocado em execução, além dos gastos – cálculo de gasto por minuto, por mês e por ano que o programa demandará para sua execução.

No post de hoje conversamos um pouco mais sobre o Departamento de Produção, uma conversa bastante esclarecedora sobre o que é necessário para se tornar um bom Produtor Executivo. Esse post encerra a nossa terceira etapa de ações em conjunto com a emissora, no entanto ainda tem mais por vir, então fica de olho aqui no blog.

 

Ana Carolina Vaz, Débora Maia, Jhonathann Gomes, Mateus Henrique Machado, Victor Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *