#ensaioBH: Verde concreto

Há quinze anos atrás, Lagoa Santa era uma cidadezinha de interior. A vida passava tranquila e as crianças brincavam na rua. Poucos carros, muitas casas e no máximo meia dúzia de prédios de três andares.A proximidade com a capital trouxe o crescimento inevitável. O aeroporto de Confins, a linha verde, a Cidade Administrativa do Governo de Minas… De repente, a população começou a crescer em saltos e a especulação imobiliária chegou, sedenta.
E como o crescimento desordenado não se preocupa com o meio ambiente, cada vez mais o concreto vai ocupando as áreas verdes, empurrando a natureza para longe dos limites da cidade. Resolvi mostrar como a ocupação desenfreada de Lagoa Santa vem mudando os horizontes da cidade e escolhi o bairro Palmital como foco do ensaio. Uma região que até pouco tempo atrás era considerada rural, com fazendas, pastos e muito cerrado. A surpresa foi maior do que imaginava. A construção de diversos condomínios de prédios já aparece como um corte cinza no meio da paisagem.

Luiza Lambert