#ensaioBH Vitrines:

 

 

Nos centros das cidades, o que nos faz parar por alguns segundos. Como abrir a porta da geladeira para pensar, a gente para, olha e visita nosso imaginário, nem que seja apenas para achar feio ou bonito.

 

 

 

Carolina Resende

19 comments

  • Luisa Lanna

    Gostei muito da proposta do ensaio. Realmente é uma das situações mais comuns com as quais nos deparamos no dia a dia, principalmente ao caminhar pelo centro.

  • Davidson Leite

    Adorei a comparação com o ato de abrir a porta da geladeira. Talvez expresse bem o automatismo do nosso comportamento diante das vitrines. Visualmente falando, gosto muito de como o reflexo nas vitrines trazem um cenário paralelo dentro do cenário recortado pelas fotos.

  • Nathalia Tameirão

    Achei muito legal como as pessoas foram retratadas nas fotos. De costas, elas parecem realmente hipnotizadas pelas vitrines e transmitem bem a ideia do ensaio em geral. O efeito aplicado nas fotos também foi extremamente bem escolhido e ajudou a dar unidade e vida ao tema.

  • Karine Silva

    Muito bacana! Realmente olhar vitrines se tornou um hábito nas grandes cidades, quase um vício. Eu mesma muitas vezes já esbarrei em alguém ou perdi um ônibus pq me distraí com uma vitrine. Parece que elas também nos informam sobre o que está acontecendo nas cidades.

  • Flávia Ruas

    Parar para olhar as vitrines é um impulso quase inevitável, não é? É interessante ver como as pessoas se interessam pelos produtos e como isso faz parte inclusive da característica humana. Achei bem legal a sugestão do Lucas, de fotografar também uma outra perspectiva, do lado de dentro.

  • lylianegoulart

    A proposta é muito interessante, retrata realmente o que faço quando estamos no centro da cidade, mesmo que correndo paro para dar uma olhadinha nas vitrines. Os reflexos das pessoas na vitrine deixa o ensaio ainda mais interessante e instigante, a vontade é de saber exatamente qual a expressão delas enquanto admiram – ou não- as vitrines.

  • liviaaraujo

    Ao ver as fotos, pensei nelas como a vitrine das vitrines, como observamos aqueles que observam. Isso criou um efeito interessante. Os reflexos são belos de serem vistos nos vidros e o comportamento das pessoas frente a estes locais é algo bacana de ser captado. Gostei da comparação do texto também, assim como abrimos a geladeira “para pensar”, as vitrines também parecem ser este lugar de contemplação, não necessariamente do que está sendo mostrado.

  • Gabriel Amorim

    O consumo já está tão incorporado em nossa vida que, como você mesma disse, usamos as vitrines muitas vezes para pensar em outros aspectos. Os reflexos nas vitrines também deram um tom muito interessante pro ensaio.

  • Caio Santos

    Eu achei impressionante notar o paralelo ele os que admiram os produtos e os próprios manequins, como se um espelhasse perfeitamente o outro. Será alguma crítica sútil ao consumismo contemporâneo?

  • Ana França

    Excelente ensaio! Acho que realmente existe uma narrativa e adorei a foto que escapa do padrão: ao invés de olhar da rua para o interior da loja, um senhor olha de dentro da loja para a rua. Ao contrário das outras fotos, não temos acesso ao que ele vê. Muito interessante!

  • Nicole Lima

    O que acho interessante nas vitrines é que cada uma possui um singular e, mesmo assim, diariamente elas atraem diferentes pessoas. Fotografar o consumidor observando a vitrine é também tentar decifrar qual elemento o chamou a atenção.

  • marinanovais

    Acho bacana pensar essa ideia de que acionamos o nosso “imaginário” assim como nos vemos no reflexo do vidro. Ver as vitrines seria como nos projetar nesses produtos, mexendo com nossas emoções e desejos mais narcísicos.

  • Ana Luísa Mayrink

    Gostei especialmente do ensaio, visto que cresci na cidade retratada e pude acompanhar como algumas das inserções dessas lojas mudaram a relação dos moradores locais com o centro.

  • Luiza Lambert

    Não sei se foi sua intenção, mas a foto que tem um reflexo da CDL do outro lado da rua, com o “SPC” bem destacado, é uma ótima ironia ao culto ao consumismo. Massa!

  • Maria Dulce Miranda

    Achei bacana a ideia de retratar as vitrines, acho que interessante ver como todo mundo para em frente às diferentes lojas. Gosto de ver também o efeito de espelho nos vidros, que consegue situar a loja e dar uma noção de um espaço mais amplo.

  • Victor Cordeiro

    Legal a comparação com a geladeira mesmo. E no caso da vitrine, é ainda melhor, que não gasta energia, haha. O interessante dessa galeria foi que você fotografou as pessoas olhando as vitrines, então há uma inversão, é como se elas tivessem se tornado as próprias vitrines, que estão sendo observadas pela câmera.

  • Lucas Vitorino

    Gostei da ideia de retratar as vitrines, ainda mais de como as fotos transmitem essa ideia de parar a correria da cidade para pensar e observar.

  • Lucas Rocha

    Gosto do tema e a proposta, minha sugestão talvez seria ter feito as fotos do lado de dentro da loja quando as pessoas parassem e observassem. Acho que seria um olhar ainda mais interessante.

  • Millenne Ferrante

    Gostei da comparação de que é como quando abrirmos a geladeira para pensar. E de fato muitas vezes paramos em frente a vitrines apenas para “dar uma olhadinha”, para lembrar um caminho, para ligar para alguém, e não necessariamente ver o que as vitrines oferecem.